É falso que mortes por outras doenças estão sendo contabilizadas como Covid-19

11 de agosto de 2020, 09:57

Circula nas redes sociais um post afirmando que, durante a pandemia causada pelo novo coronavírus, óbitos por pneumonia e insuficiência respiratória estejam sendo contabilizados como mortes por Covid-19 (Foto: Reprodução)

Circula nas redes sociais um post afirmando que, durante a pandemia causada pelo novo coronavírus, óbitos por pneumonia e insuficiência respiratória estejam sendo contabilizados como mortes por Covid-19. Segundo o post, esse registro falso é feito no Portal da Transparência do Registro Civil.

“Portal da Transparência! Óbitos por pneumonia em 2019: 97.091. Óbitos por insuficiência respiratória em 2019: 41.220. Entendeu onde está as 100 mil mortes? Renomearam pneumonia e insuficiência respiratória para Covid-19” – Legenda de imagem publicada no Facebook. (Fonte: Reprodução)

Essa informação é falsa. Mortes causadas por outras doenças, como pneumonia e insuficiência respiratória ocorridas em 2020 não foram registradas como Covid-19. Acessando o Portal da Transparência do Registro Civil, é possível checar que, considerando somente o primeiro semestre de 2020, foram registradas 95.459 mortes por pneumonia e 50.027 por insuficiência respiratória. No mesmo período do ano passado, foram registradas 109.949 mortes por pneumonia e 48.491 por insuficiência respiratória.

Em decorrência da Covid-19, outras 63.907 mortes foram registradas no mesmo período.  Esses dados podem ser alterados nos próximos dias, já que o Portal da Transparência não tem dados atualizados em tempo real.

Devido a pandemia, a Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen), que é responsável pelo portal, acabou criando uma sessão totalmente especifica para a divulgação de dados referentes ao Covid-19 e outras doenças que atacam o sistema respiratório. Segundo a Arpen, existe normalmente um período de oito dias para que uma morte seja incluída no portal, já que os dados não são atualizados em tempo real. Esses dados não são atualizados em tempo real. Porém, em alguns casos específicos, esse período pode ser ainda maior.

Além dos dados de 2020, uma reportagem da Folha de São Paulo  mostrou que existe inconsistência de dados enviados por alguns cartórios mesmo em óbitos registrados em 2019 e, essas falhas no registro de dados torna difícil o cálculo real dos efeitos da Covid-19 no Brasil.

Conteúdo de fact-checking do Pipeify.

Como aumentar a imunidade rapidamente 

Para aumentar a imunidade rapidamente deixando o corpo mais forte no combate aos agentes agressores deve-se:

Adotar bons hábitos de saúde, realizando atividade física, dormindo adequadamente e evitando situações de estresse;

Evitar o cigarro ou estar exposto ao cigarro;

Expor-se ao sol diariamente, de preferência até as 10 horas da manhã e depois das 16 horas, sem protetor solar, para aumentar a produção de vitamina D no organismo;

Consumir alimentos saudáveis e manter uma dieta equilibrada, que inclua o consumo de frutas, verduras e legumes, de preferência orgânicos ou produzidos em casa sem agrotóxicos;

Evitar ao máximo fast food e alimentos industrializados e comidas congeladas como pizzas e lasanhas, por exemplo, pois contém substâncias que promovem a inflamação do organismo;

Evitar tomar remédios sem orientação médica;

Beber cerca de 2 litros de água mineral ou filtrada todos os dias. 

Além disso, caso tenha alguma doença causada por vírus, como gripe, por exemplo, é importante evitar frequentar lugares públicos fechados, como shopping, teatros e cinemas, além de ser importante lavar as mãos frequentemente com água e sabão, assim como evitar tocar os olhos, nariz e a boca com as mãos sujas. Dessa forma, é possível reduzir o risco de adquirir a doença e de haver o desenvolvimento de complicações, principalmente no caso da pessoa possuir o sistema imunológico mais fraco.

VÍDEOS