Durante entrevista para emissora de rádio de Salvador, prefeito eleito de Jacobina promete ‘fechar o ralo da corrupção’

18 de novembro de 2020, 10:58

Tiago Dias foi eleito prefeito com 19.207 votos (45,82%) (Foto: Reprodução)

O prefeito eleito de Jacobina, Tiago Dias (PC do B), foi o convidado desta quarta-feira (18) do Programa Isto é Bahia, da Rádio A Tarde FM de Salvador e apresentado pelos jornalistas Jeferson Beltrão e Fernando Duarte. O futuro gestor do município de pouco mais de 80 mil habitantes (segundo o IBGE) e 31ª economia do Estado da Bahia falou de sua trajetória política e de suas prioridades enquanto ocupar a principal cadeira do Executivo municipal.

Oriundo da zona rural, Tiago Dias chega ao ápice da política jacobinense com apenas 37 anos de idade, depois de ter exercido dois mandatos como vereador. Sua eleição já está sendo considerada como um dos maiores feitos políticos da região, por um agricultor rural, ex-mototaxista conseguir vencer grandes medalhões que alternavam o poder no município há várias décadas.

O jovem futuro prefeito ao ser questionado pelos jornalistas sobre o que a população pode esperar de seu governo, ratificou os principais motes da sua campanha eleitoral, a transparência e a participação popular. Fazendo questão de citar sua origem humilde na comunidade de Cachoeira dos Alves, onde nasceu e também da origem rural da sua vice-prefeita Kátia Alves que é natural do distrito de Itapeipú. “As novas lideranças agora são de fora para dentro e não mais de dentro para fora”, disse ao se referi a zona urbana e à zona rural”

Com relação à nova composição da Câmara de Vereadores, garantiu manter o diálogo dentro de um projeto político que proporcione condições de formular e inserir políticas públicas. “Acredito que não teremos vereadores de oposição pois o que eles querem nós também queremos, a melhoria da vida da população”, parafraseou.

Quanto aos prováveis ‘pecados’ que contribuíram para a não reeleição do atual gestor, Tiago citou a falta de aproximação com a população, o não cumprimento das obrigações administrativas e o desejo de mudança por parte da população, destacando inclusive o fato de mesmo com a união dos três últimos prefeitos da cidade a sua vitória foi inevitável. “Fizemos uma campanha como um espelho de como iremos governar, ouvindo a população, os desabafos, as críticas e os seus anseios”, relatou, dando como exemplo o diálogo que teve com uma eleitora, ”uma senhora de 83 anos que me pediu que não quer morrer antes de um carro estacionar em sua porta é uma amostra de aproximação com o povo”. Para validar sua probidade e compromisso político fez outro relato “uma criança disse que quando crescer queria ser igual a mim, mas um momento que me fez perceber o tamanho de minha responsabilidade. Tenho que ser exemplo”, concluiu.

Perguntado se existe um cenário de cofre público favorável, o futuro prefeito disse que irá trabalhar para ajustar as contas com responsabilidades nos gastos e para isso priorizará o planejamento, elegendo prioridades a partir de uma gestão transparente e principalmente “tapar o ralo da corrupção”. “Nosso compromisso número um será a transparência, a verdade”, salientou.

Para alavancar a economia Dias elencou algumas ações, como a segurança jurídica e desburocratização governamental para atrair novos empreendimentos para a cidade e facilitar a relação entre os que já existem. Entre as intervenções estaria a de inserir o alvará digital. O próximo timoneiro de Jacobina prometeu ainda ‘trabalhar com firmeza’ para fortalecer o segmento do turismo e da agricultura, as duas principais atividades ‘naturais’ do município.

Sobre os impactos da pandemia, Tiago prometeu criar um comitê de crise com as participações da sociedade civil e os poderes públicos constituídos do município, para buscar um entendimento e a elaboração de ações de enfrentamento. “Nossas decisões serão coletivas, se errar todos errarão e se acertar todos acertarão”, destacou.

Os 7 alimentos que são ladrões de energia

Você provavelmente já ouviu falar e leu bastante sobre alimentos e suplementos que aumentam sua disposição e te deixam mais animado para encarar um treino ou até mesmo as tarefas do dia a dia. Mas também existe o outro lado dessa moeda. Não faltam vilões neste mundo na nutrição: os alimentos que são ladrões de energia e podem atrapalhar bastante sua rotina na corrida ou até mesmo se tornar um obstáculo numa prova.

Esses “ladrões” de energia atuam de diferentes maneiras no organismo. Em alguns casos, oferecem tanto açúcar que, num primeiro momento, essa elevada taxa de glicose resulta em mais disposição, mas, logo em seguida, a insulina liberada para normalizar essa glicose faz justamente o caminho contrário. E aí o cansaço chega com tudo.

Também tem aqueles alimentos que dão tanto trabalho para o sistema digestivo que muitos nutrientes são desviados para ajudar nesse processo, fazendo com que eles faltem na produção de energia em outras funções do organismo. Resultado: o corpo logo sente essa queda de disposição.

Para te ajudar a evitar esse cansaço causado pela má alimentação, acionamos três especialistas para fazer uma lista dos maiores ladrões de energia, suas principais armas e como combatê-las. Confira!

Os ladrões de energia 

Carboidratos simples

Alimentos com farinhas brancas vão roubar energia se consumidos em excesso. “Em um pré-treino, por exemplo, são aliados, mas viram vilões se não houver uma atividade física depois”, pondera Mayara Ferrari, nutricionista funcional esportiva. “Isso acontece porque a quantidade de açúcar no sangue fica muito elevada e o pâncreas libera mais insulina para quebrar todos esses carboidratos. Isso pode causar uma grande redução de açúcar no sangue, resultando em fadiga e falta de energia.”

Sal

Aquele sal extra para dar mais gosto à comida pode te deixar mais cansado. Em quantidade exagerada, o sal aumenta a pressão arterial e deixa o organismo mais desidratado porque mais água é necessária para compensar. “Ele prejudica o funcionamento adequado do organismo, que ficará a todo momento buscando esse equilíbrio. Isso dará uma sensação de cansaço e fadiga. Esporadicamente um pouco de sal não tem problema, mas abusar dele diariamente ou usar em grande quantidade é bastante prejudicial”, adverte Mayara.

Alimentos gordurosos e frituras

A gordura em excesso dificulta a digestão e atrapalha a chegada dos nutrientes à corrente sanguínea. “Como possuem uma digestão mais
lenta, eles fazem com que a circulação se concentre na região abdominal por mais tempo. Isso causa uma sensação de letargia e sonolência durante a digestão, que pode passar de três horas. E isso não é bom para quem vai se exercitar, pois precisará de boa circulação nos membros”, alerta a nutricionista Lara Natacci.

Doces

A lógica nesse caso é parecida à dos carboidratos simples: como eles são ricos em açúcar, dão um pico de energia no primeiro momento porque aumentam a quantidade de glicose no sangue, mas se a pessoa não for praticar uma atividade física logo em seguida, essa disposição logo pode virar cansaço. “O organismo vai aumentar a secreção de insulina para normalizar a glicemia, que é a quantidade de glicose no sangue. Por isso, a sensação de aumento de energia deve durar pouco e dar lugar à fadiga”, reforça Lara Natacci.

Café

O café, um dos estimulantes mais populares, também pode roubar sua energia. Ele realmente gera mais disposição num primeiro momento, mas sua ação no sistema nervoso tem como um dos efeitos a fadiga. “A cafeína, no cérebro, obstrui os efeitos da adenosina, substância que ajuda na transferência de energia e na promoção do sono, dando o efeito estimulante”, explica André Lemos, médico nutrólogo. “Por outro lado, também inibe a degradação da acetilcolina, que aumenta o estímulo muscular. E a consequência disso são o cansaço e a debilidade”, completa.

Corantes e conservantes

Presentes em muitos produtos industrializados, como nuggets, embutidos (salame, presunto, mortadela, peito de peru) e salsichas, eles
modificam o funcionamento adequado do organismo, que tenta repor o que os corantes “tiram” no processo de digestão. “Eles causam uma cascata de processos inflamatórios e oxidantes. Para reverter essa situação, disponibilizamos muitas vitaminas e minerais, fazendo com que o restante do organismo não funcione adequadamente”, destaca Mayara.

Refrigerante

O refrigerante é um dos “ladrões de energia” mais temidos. Alguns maratonistas e ultramaratonistas o utilizam durante provas quando já estão acostumados a seus efeitos, inclusive psicológicos, mas, para o organismo, eles não têm nada de “bonzinhos”. Isso porque o refrigerante, em geral, tem tudo em excesso: açúcar, sódio e corantes. Assim, desencadeia todos os processos já descritos de uma só vez. Além disso, estudos apontam que o refrigerante ainda pode atrapalhar o padrão de sono, prejudicando o descanso e interferindo na disposição.

VÍDEOS