Desacelerar e cuidar da alimentação são as dicas a poucos dias da última prova do Enem

09 de novembro de 2017, 11:53

Jamile Khaled orienta estudantes a desacelerar e cuidar da alimentação (Foto: Divulgação)

Precauções nunca são demais quando se trata da realização de uma prova que só acontece uma vez ao ano, já que perdê-la significa ter de esperar mais 364 dias até uma nova chance, por isso, cuidar da alimentação e desacelerar, são orientações essenciais para um bom desempenho na última prova do Enem de 2017.
Então, evitar exercícios físicos desgastantes, permanecer acordado até muito tarde da noite, se expor a alterações bruscas de temperaturas e se resguardar para que possa estar 100% para a hora da prova é primordial.
Quem dá as dicas, é a nutricionista Jamile Khaled, para ela, além de uma boa alimentação, descanso é essencial. “Respeitar as horas de sono necessárias para ter um bom nível de descanso e atenção na hora da prova. Fazer uma higiene mental na véspera, ocupando-se de atividades que proporcionem relaxamento e tranquilidade como assistir filme, ouvir uma boa música, bater papo com amigos, são algumas boas ideias”, orienta.
Já em relação à alimentação, é preciso evitar alimentos “pesados”, muito gordurosos e que exijam demais de nossa digestão, pois consequentemente, podem nos deixar “mais lentos”, cuidado que deve existir desde a véspera da prova e se prolongar no decorrer do dia do Exame.
Organizando a alimentação
No café da manhã utilizar carboidratos integrais como fontes de energia, como pão ou torradas integrais, proteína de alto valor biológico como queijos, ovos, iogurtes e leite e gorduras de boa qualidade como azeite de oliva, abacate e castanhas é o ideal.
Já no almoço, a dica é optar por uma proteína grelhada, salada verde ou cozida, carboidrato também integral como macarrão ou arroz integral e quinoa.
Outra coisa que não deve ser deixada de lado é a hidratação, que precisa ser pensada durante todo o dia. Sucos de frutas naturais, água de coco, sucos detox, chás e bastante água.
Para a hora da prova
Como o Pará não participa do horário brasileiro de verão e os portões das escolas fecham pontualmente ao meio dia, muitas vezes o aluno precisa sair de casa bem cedo e não tem como almoçar, o que nem é indicado. A dica então para a alimentação para a hora da prova é esquecer as calorias vazias e ricas em açúcar, que vão roubar concentração. “Nada de batata frita, pipoca, balas açucaradas, coxinhas e afins , o correto é investir em barras de castanhas ou amêndoas, água de coco, chocolate amargo (a partir de 70% cacau), frutas, barrinhas de amendoim, chás (sendo hibisco com morango uma boa pedida), iogurte zero gordura ou aveia. Todas essas opções são muito leves, de boa qualidade e irão fornecer energia para o candidato e mantê-lo saciado”, complementou a nutricionista.

Como aumentar a imunidade rapidamente 

Para aumentar a imunidade rapidamente deixando o corpo mais forte no combate aos agentes agressores deve-se:

Adotar bons hábitos de saúde, realizando atividade física, dormindo adequadamente e evitando situações de estresse;

Evitar o cigarro ou estar exposto ao cigarro;

Expor-se ao sol diariamente, de preferência até as 10 horas da manhã e depois das 16 horas, sem protetor solar, para aumentar a produção de vitamina D no organismo;

Consumir alimentos saudáveis e manter uma dieta equilibrada, que inclua o consumo de frutas, verduras e legumes, de preferência orgânicos ou produzidos em casa sem agrotóxicos;

Evitar ao máximo fast food e alimentos industrializados e comidas congeladas como pizzas e lasanhas, por exemplo, pois contém substâncias que promovem a inflamação do organismo;

Evitar tomar remédios sem orientação médica;

Beber cerca de 2 litros de água mineral ou filtrada todos os dias. 

Além disso, caso tenha alguma doença causada por vírus, como gripe, por exemplo, é importante evitar frequentar lugares públicos fechados, como shopping, teatros e cinemas, além de ser importante lavar as mãos frequentemente com água e sabão, assim como evitar tocar os olhos, nariz e a boca com as mãos sujas. Dessa forma, é possível reduzir o risco de adquirir a doença e de haver o desenvolvimento de complicações, principalmente no caso da pessoa possuir o sistema imunológico mais fraco.

VÍDEOS