Depois de 80 anos sem ser vista, ave rara é encontrada em Minas Gerais

14 de fevereiro de 2020, 17:56

A ave foi vista por um morador na região do Leste mineiro, no dia 1º de fevereiro.  (Foto: Reprodução)

Após 80 anos sem ser visto, o pássaro conhecido como bicudo (Sporophilia Maximiliano) foi visto pela primeira vez em Minas Gerais. A ave é comum nos criatórios, mas essa espécie tem raros registros na natureza em todo o país. Considerada extinta em diversos estados, a espécie está criticamente ameaçada de extinção no Brasil

A ave foi vista por um morador na região do Leste mineiro, no dia 1º de fevereiro. José Paulo dos Santos, de 51 anos, foi o sortudo. Ele já havia auxiliado nas buscas pela espécie, em 2017, e já sabia da existência da ave na região, pois costumava ver o bicudo próximo a brejos e lagos em que costumava pescar. “Desde então, virou uma questão de honra encontrar o bicudo”, disse. 

Após a observação, uma equipe do Waita – Instituto de Pesquisa e Conservação, deslocou-se imediatamente para o local, onde foi realizado o registro de três indivíduos, um sozinho e um casal formando ninho.

Alice Lopes, bióloga do Waita, ficou maravilhada ao avistar o animal. “Após quatro anos de buscas da espécie em vida livre, é uma alegria enorme poder vê-los vivendo em ambiente natural. Renova nossas energias e esperanças de vê-lo repovoando o Estado. Esse registro possibilitará diversos estudos comportamentais sobre habitat, alimentação e reprodução, que são praticamente inexistentes e serão fundamentais para subsidiar um futuro programa de reintrodução”, disse.

O analista ambiental do Ibama em Minas, Daniel Vilela, também frisou a importância do registro após 80 anos. “O bicudo sempre foi uma espécie naturalmente rara e sofreu muito com a captura e criação clandestina devido ao seu belo canto e valor comercial. Poucas pessoas acreditavam que este reencontro em Minas Gerais fosse possível. Este novo registro alimenta a esperança de que os programas de proteção e conservação de fauna repovoem nosso estado com este importante pássaro.”

DIVULGUE A NOTÍCIA

Justiça multa Facebook em R$ 6,6 mi por compartilhar dados de usuários

OMinistério da Justiça e da Segurança Pública (MJSP) decidiu multar o Facebook em R$ 6,6 milhões por compartilhamento indevido de dados de usuários cadastrados na rede social. A decisão foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) nesta segunda-feira, 30.

A multa, aplicada pelo Departamento de proteção e Defesa do Consumidor (DPDC), órgão do MJSP, acontece após investigação que identificou “prática abusiva” por parte da empresa de tecnologia, que teria deixado vulneráveis dados de 443 mil usuários.

Segundo nota publicada no site da pasta, “o caso começou a ser investigado após notícia veiculada pela mídia, em 4 de abril de 2018, informando que os usuários do Facebook, no País, poderiam ter sofrido com o uso indevido de dados pela consultoria de marketing político Cambridge Analytica”, que ganhou notoriedade global por ter trabalhado na campanha presidencial de Donald Trump, nos Estados Unidos, e também para a campanha do Brexit, como é conhecido o processo de saída do Reino Unido da União Europeia.

Pelo Twitter, o ministro da Justiça, Sérgio Moro, destacou a decisão do ministério e afirmou que “as redes revolucionaram a forma pela qual nos comunicamos e expressamos, mas há questões sobre privacidade a serem consideradas”. O Facebook tem dez dias para recorrer da decisão.

VÍDEOS