De novo? Boato sugere que WhatsApp passará a cobrar por mensagens

16 de outubro de 2019, 14:00

(Foto: Reprodução)

Os anos passam e o boato de que o WhatsApp se tornará um serviço pago sempre acaba voltando. A mensagem da vez, porém, é ainda mais audaciosa e vem causando pânico nos usuários do mensageiro por alarmar que o app passará a cobrar R$ 0,37 por mensagem a partir desta quinta-feira (17).

Não suficiente, a lorota ainda indica o que você deve fazer para evitar para que a sua conta no WhatsApp não receba as tais cobranças:

“Confirmado… Amanhã acabarão as mensagens grátis, e começarão a cobrar por WhatsApp a 0.37 centavos. Reenvie esta mensagem a mais de 3 grupos, e terá gratuito por toda a vida. Fique atento na bolinha, pois ela irá ficar verde, faça e veja. Já mandei.”

O português pobre e a óbvia negativa da empresa já são suficientes para mostrar que tudo não passa de uma mentira. Veja o comunicado oficial do WhatsApp sobre isso:

“O WhatsApp usa a conexão de internet do seu aparelho (4G/3G/2G/EDGE ou Wi-Fi quando disponível) para enviar e receber mensagens para a sua família e amigos. Você não tem que pagar por cada mensagem. Contanto que você não tenha excedido seu limite de dados ou esteja conectado a uma rede Wi-Fi, sua operadora não cobrará a mais pelas mensagens no WhatsApp.”

Vocês receberam esta mensagem ou alguma outra sobre eventuais cobranças no WhatsApp? Deixem nos comentários!

Fonte: Seu Crédito Digital

Principais sintomas físicos e mentais da abstinência de nicotina

A síndrome de abstinência de nicotina provoca inúmeros sintomas nos ex-fumantes. Contudo, explica um artigo publicado no portal Melhor Com Saúde, esses efeitos colaterais variam em intensidade dependendo da pessoa. 

O fato da nicotina ser uma droga muito viciante faz com que o hormônio conhecido como dopamina seja liberado no cérebro – este hormônio é responsável por aumentar a sensação de prazer e bem-estar. E como tal, o organismo reage negativa e violentamente à ausência da droga.

Ainda assim, a síndrome de abstinência de nicotina não representa qualquer risco para a saúde. Estima-se que os sintomas associados à condição afetam até 85% dos ex-fumantes. 

Os sintomas desta síndrome variam, mas, sem dúvida alguma, o mais comum é a vontade de fumar que pode surgir na presença de múltiplos estímulos, como por exemplo ver outra pessoa fumar, ou inclusive sem uma causa aparente.

Os principais sintomas da síndrome de abstinência da nicotina são os seguintes, de acordo com o portal Melhor Com Saúde:

Sintomas físicos

Aumento do apetite
Tosse
Boca seca
Dor de cabeça
Tontura
Fadiga
Coriza (inflamação da mucosa das fossas nasais; rinite, defluxo)
Dor de garganta, na língua ou gengivas
Sensação de aperto no peito
Ganho de peso
Frequência cardíaca mais lenta ou bradicardia
Obstipação
Hipotensão

Sintomas mentais

Ansiedade, inquietação e irritabilidade
Dificuldade em se concentrar
Insônia e dificuldade para dormir bem
Raiva e frustração
Depressão
Desânimo
Mau humor

Os sintomas da síndrome de abstinência da nicotina normalmente duram de 4 a 12 semanas e surgem nas primeiras 12 a 24 horas após parar de fumar. 

Os especialistas explicam que a fase mais critica são as primeiras duas a três semanas de cessação tabágica. Sendo que os sintomas começam gradualmente a desaparecer e, com o tempo o indivíduo aprende a controlar o desejo de fumar. 

VÍDEOS