Cuba envia médicos a 23 países para ajudar no combate ao coronavírus

13 de maio de 2020, 13:36

Médicos cubanos que atuavam em unidades básicas de saúde de pequenos municípios e comunidades indígenas no Brasil (Foto: Reprodução)

O Ministério das Relações Exteriores de Cuba informou que o país envia médicos para 23 países para ajudar no combate à pandemia de covid-19. Entre eles estão o México, a Nicarágua, a Venezuela e a Itália – 1 dos países com maior número de mortes na Europa. O Brasil não é 1 dos beneficiados.

“Com esta imagem reconhecemos o trabalho de todos os nossos profissionais da saúde”, escreveu o ministério de Cuba no Facebook em 5 de maio. A pandemia de covid-19 é 1 problema mundial. De acordo com o site Wordometer, a doença causada pelo novo coronavírus já causou 294.235 no mundo.

© Fornecido por Poder360

Os médicos cubanos prestavam assistência ao Brasil até 2019, quando o programa Mais Médicos –que determinava o vínculo empregatício– foi substituído “Médicos pelo Brasil”, elaborado pelo presidente Bolsonaro.

O Mais Médicos, criado em 2013 na gestão da ex-presidente petista Dilma Rousseff (2011-2026), era criticado por Bolsonaro. O militar duvidava da qualificação dos médicos cubanos e disse que exigiria uma série de medidas para provar que os profissionais tinham capacitação para continuar a atuar no Brasil. Isso fez com que fez Cuba abandonasse a iniciativa. A saída de 8.500 médicos do país criou uma cris em municípios. O presidente também chegou a dizer que os cubanos buscavam “fazer núcleos de guerrilha no Brasil”.

Como aumentar a imunidade rapidamente 

Para aumentar a imunidade rapidamente deixando o corpo mais forte no combate aos agentes agressores deve-se:

Adotar bons hábitos de saúde, realizando atividade física, dormindo adequadamente e evitando situações de estresse;

Evitar o cigarro ou estar exposto ao cigarro;

Expor-se ao sol diariamente, de preferência até as 10 horas da manhã e depois das 16 horas, sem protetor solar, para aumentar a produção de vitamina D no organismo;

Consumir alimentos saudáveis e manter uma dieta equilibrada, que inclua o consumo de frutas, verduras e legumes, de preferência orgânicos ou produzidos em casa sem agrotóxicos;

Evitar ao máximo fast food e alimentos industrializados e comidas congeladas como pizzas e lasanhas, por exemplo, pois contém substâncias que promovem a inflamação do organismo;

Evitar tomar remédios sem orientação médica;

Beber cerca de 2 litros de água mineral ou filtrada todos os dias. 

Além disso, caso tenha alguma doença causada por vírus, como gripe, por exemplo, é importante evitar frequentar lugares públicos fechados, como shopping, teatros e cinemas, além de ser importante lavar as mãos frequentemente com água e sabão, assim como evitar tocar os olhos, nariz e a boca com as mãos sujas. Dessa forma, é possível reduzir o risco de adquirir a doença e de haver o desenvolvimento de complicações, principalmente no caso da pessoa possuir o sistema imunológico mais fraco.

VÍDEOS