Combinar remédios fitoterápicos com medicamentos pode fazer mal à saúde

26 de janeiro de 2018, 10:47

Remédios à base de plantas, como a erva de São João, ginseng e ginkgo biloba, podem promover interações prejudiciais com os medicamentos convencionais. É o que revelou uma revisão de estudos que descobriu dezenas de casos em que tratamentos alternativos afetaram os efeitos de medicamentos. Seja deixando-os mais potente ou causando efeitos colaterais perigosos.
O artigo apresentou exemplos de pacientes que sofreram sérios problemas depois de tomar medicamentos à base de plantas junto com drogas, como antidepressivos, medicamentos para o HIV, epilepsia e doenças cardíacas.
Charles Awortwe, da Universidade de Stellenbosch, na África do Sul, e um dos autores do artigo, disse que sua equipe resolveu investigar esse tema devido ao uso generalizado de medicamentos à base de plantas junto com medicamentos prescritos. Ele e os colegas examinaram a literatura médica para identificar casos anteriores de pacientes que sofreram reações adversas. A análise, publicada no British Journal of Clinical Pharmacology, incluiu 49 relatos de casos e dois estudos observacionais prévios, que detalham 15 casos de reações adversas a medicamentos.
Em seguida, analisaram os casos, determinando se os problemas foram provavelmente causados por uma interação, com base nas propriedades farmacológicas dos ingredientes ativos. Eles concluíram que os medicamentos à base de plantas provavelmente afetaram quase 60% dos casos. Em um relato de caso, um homem de 55 anos morreu de convulsão durante a natação. A autópsia concluiu que os suplementos de ginkgo biloba que o homem estava tomando –para aumentar a função cognitiva– podem ter inibido a medicação anticonvulsiva.
Vários casos documentaram pacientes com problemas cardíacos que tomavam anticoagulantes e estatinas que teriam sofrido complicações ligadas a sálvia, linhaça, erva de São João e chá-verde. A maioria dos pacientes foi diagnosticada com doenças cardiovasculares, câncer e transplantes de rim.
Estudos recentes mostraram que é possível que alguns ingredientes ativos em ervas medicinais afetem o metabolismo do fármaco, acelerando a taxa que os medicamentos são quebrados no fígado e reduzindo sua eficácia. “Se você está tomando remédios de ervas, deve contar ao clínico. Uma interação potencial e suas consequências podem ser muito prejudiciais para sua saúde”, revela Awortwe.

Um alerta no site da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), também aponta para os perigos de misturar os remédios:

“Os fitoterápicos são medicamentos alopáticos, possuindo compostos químicos que podem interagir com outros medicamentos. As plantas medicinais também possuem compostos químicos ativos que podem promover este tipo de interação.
Deve-se ter cuidado ao associar medicamentos, ou medicamentos com plantas medicinais, o que pode promover a diminuição dos efeitos ou provocar reações indesejadas.
Um exemplo é o uso de Hipérico junto a anticoncepcionais, podendo levar à gravidez, outro é o uso de Ginco (Ginkgo biloba) junto a anticoagulantes, como warfarina ou ácido acetilsalisílico, podendo promover hemorragias.
Deve-se sempre observar as informações contidas nas bulas disponibilizadas nos medicamentos e questionar o seu médico ou profissional de saúde sobre possíveis interações.” Informaçõs do Viva Bem UOL.

Como aumentar a imunidade rapidamente 

Para aumentar a imunidade rapidamente deixando o corpo mais forte no combate aos agentes agressores deve-se:

Adotar bons hábitos de saúde, realizando atividade física, dormindo adequadamente e evitando situações de estresse;

Evitar o cigarro ou estar exposto ao cigarro;

Expor-se ao sol diariamente, de preferência até as 10 horas da manhã e depois das 16 horas, sem protetor solar, para aumentar a produção de vitamina D no organismo;

Consumir alimentos saudáveis e manter uma dieta equilibrada, que inclua o consumo de frutas, verduras e legumes, de preferência orgânicos ou produzidos em casa sem agrotóxicos;

Evitar ao máximo fast food e alimentos industrializados e comidas congeladas como pizzas e lasanhas, por exemplo, pois contém substâncias que promovem a inflamação do organismo;

Evitar tomar remédios sem orientação médica;

Beber cerca de 2 litros de água mineral ou filtrada todos os dias. 

Além disso, caso tenha alguma doença causada por vírus, como gripe, por exemplo, é importante evitar frequentar lugares públicos fechados, como shopping, teatros e cinemas, além de ser importante lavar as mãos frequentemente com água e sabão, assim como evitar tocar os olhos, nariz e a boca com as mãos sujas. Dessa forma, é possível reduzir o risco de adquirir a doença e de haver o desenvolvimento de complicações, principalmente no caso da pessoa possuir o sistema imunológico mais fraco.

VÍDEOS