Cientistas encontraram possíveis sinais de vida em Vênus

14 de setembro de 2020, 10:40

Pesquisadores encontraram na superfície de Vênus gás fosfina, que pode possuir origem orgânica (Foto: Reprodução)

Cientistas da Universidade de Cardiff (Reino Unido) e do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (EUA) descobriram a presença da substância na superfície do planeta do Sistema Solar.

“A descoberta foi feita com ajuda do Telescópio James Clerk Maxwell, no Havaí, e da Grande Matriz Milimétrica/Submilimétrica do Atacama, no Chile. A concentração de partículas de fosfina foi de 20 em um bilhão”, afirmou à Sputnik uma fonte com acesso à pesquisa.

Fosfina é um gás incolor altamente tóxico. Na Terra ele é produzido por microrganismos de forma anaeróbia, ou seja, não requerendo a presença de oxigênio. Em 2019, a busca pela substância em exoplanetas foi implementada com o objetivo de encontrar vida extraterrestre.

Contudo, comenta a fonte, a detecção de fosfina não significa automaticamente a descoberta de vida em Vênus, pois pode surgir como resultado de processos naturais desconhecidos.

Ainda assim, os pesquisadores ainda não conseguiram encontrar formas não biológicas de produzir o gás.

Esta não é a primeira suposição de que o planeta contenha vida. Em janeiro de 2012, o pesquisador principal do Instituto de Pesquisas Espaciais (Rússia), Leonid Ksanfomaliti, publicou um artigo dedicado à análise de fotos tiradas pelo módulo de pouso da sonda espacial soviética Venera-13.

Nas fotografias, Ksanfomaliti identificou alguns objetos que poderiam ser interpretados como possíveis seres vivos, embora a maior parte de seus colegas permaneçam céticos.

Atualmente, os EUA e a Rússia estudam a possibilidade de criar uma sonda que pouse em Vênus para realizar pesquisas na superfície e na atmosfera do planeta.

Sputinik

Como aumentar a imunidade rapidamente 

Para aumentar a imunidade rapidamente deixando o corpo mais forte no combate aos agentes agressores deve-se:

Adotar bons hábitos de saúde, realizando atividade física, dormindo adequadamente e evitando situações de estresse;

Evitar o cigarro ou estar exposto ao cigarro;

Expor-se ao sol diariamente, de preferência até as 10 horas da manhã e depois das 16 horas, sem protetor solar, para aumentar a produção de vitamina D no organismo;

Consumir alimentos saudáveis e manter uma dieta equilibrada, que inclua o consumo de frutas, verduras e legumes, de preferência orgânicos ou produzidos em casa sem agrotóxicos;

Evitar ao máximo fast food e alimentos industrializados e comidas congeladas como pizzas e lasanhas, por exemplo, pois contém substâncias que promovem a inflamação do organismo;

Evitar tomar remédios sem orientação médica;

Beber cerca de 2 litros de água mineral ou filtrada todos os dias. 

Além disso, caso tenha alguma doença causada por vírus, como gripe, por exemplo, é importante evitar frequentar lugares públicos fechados, como shopping, teatros e cinemas, além de ser importante lavar as mãos frequentemente com água e sabão, assim como evitar tocar os olhos, nariz e a boca com as mãos sujas. Dessa forma, é possível reduzir o risco de adquirir a doença e de haver o desenvolvimento de complicações, principalmente no caso da pessoa possuir o sistema imunológico mais fraco.

VÍDEOS