Cientistas descobrem nova técnica para encontrar extraterrestres

25 de janeiro de 2018, 15:55

A abordagem pode identificar novas formas de vida que podem ter sido ignoradas até aqui

As agências espaciais, incluindo a NASA, têm lançado ativamente novas ferramentas para estudar o universo. Nesse sentido, os cientistas propuseram agora uma nova forma de tentar encontrar formas de vida extraterrestre.
Até agora tinham tentado procurar oxigênio na atmosfera, mas podem ter se esquecido de outras provas que podem indicar sinais de vida.

“A ideia de procurar atmosferas com oxigênio como forma de detectar vida já existe há algum tempo. E é uma boa estratégia, é muito difícil fazer oxigênio sem vida”, explicou Joshua Krissansen-Totton, o autor do estudo, citado pelo Independent.

Para a pesquisa, os cientistas olharam para a história da vida na Terra e os tipos de gases que existiam na época. Descobriram que o planeta tinha uma mistura complexa de diferentes gases, que não apenas oxigênio e que olhar para esse conjunto podia ser muito mais fiável como sinal de vida num planeta.

“Precisamos de procurar por metano e dióxido de carbono em abundância num mundo que tenha água líquida na sua superfície e que tenha ausência de monóxido de carbono”, revelou.

O estudo demonstra que a combinação pode ser um sinal forte da existência de vida nesse planeta. “A parte mais entusiasmante é que isto é possível de fazer e pode levar à descoberta histórica de uma biosfera extraterrestre num futuro próximo”.

Um acontecimento, como uma erupção vulcânica, pode gerar metano, dióxido de carbono e monóxido de carbono, mas o monóxido seria comido pelos microrganismos a viver nesses planetas. Dessa forma, explicam, que caso o planeta tenha os dois, mas não os três gases, é uma boa pista para descobrir vida extraterrestre.

Como aumentar a imunidade rapidamente 

Para aumentar a imunidade rapidamente deixando o corpo mais forte no combate aos agentes agressores deve-se:

Adotar bons hábitos de saúde, realizando atividade física, dormindo adequadamente e evitando situações de estresse;

Evitar o cigarro ou estar exposto ao cigarro;

Expor-se ao sol diariamente, de preferência até as 10 horas da manhã e depois das 16 horas, sem protetor solar, para aumentar a produção de vitamina D no organismo;

Consumir alimentos saudáveis e manter uma dieta equilibrada, que inclua o consumo de frutas, verduras e legumes, de preferência orgânicos ou produzidos em casa sem agrotóxicos;

Evitar ao máximo fast food e alimentos industrializados e comidas congeladas como pizzas e lasanhas, por exemplo, pois contém substâncias que promovem a inflamação do organismo;

Evitar tomar remédios sem orientação médica;

Beber cerca de 2 litros de água mineral ou filtrada todos os dias. 

Além disso, caso tenha alguma doença causada por vírus, como gripe, por exemplo, é importante evitar frequentar lugares públicos fechados, como shopping, teatros e cinemas, além de ser importante lavar as mãos frequentemente com água e sabão, assim como evitar tocar os olhos, nariz e a boca com as mãos sujas. Dessa forma, é possível reduzir o risco de adquirir a doença e de haver o desenvolvimento de complicações, principalmente no caso da pessoa possuir o sistema imunológico mais fraco.

VÍDEOS