Cientistas descobrem como produzir combustível de foguete em Marte para voltar à Terra

08 de janeiro de 2021, 14:25

Visão de uma região de Marte cheia de crateras fotografada pela Agência Espacial Europeia (Foto: NYT)

Os cientistas pretendem usar um catalisador de zinco de um único átomo, que simplificará o processo atual de dois passos, para produzir combustível no Planeta Vermelho.

Os cientistas da Universidade da Califórnia em Irvine descobriram um método que permite obter metano em um único passo para criar combustível na superfície de Marte, segundo comunicado da entidade.

Houlin Xin, professor de física e astronomia, e sua equipe sugeriram usar um catalisador de zinco de apenas um átomo, que sintetizará o processo atual de dois passos em somente uma etapa, utilizando um dispositivo mais compacto e portátil.

O método desenvolvido pela equipe utiliza zinco anatomicamente disperso para atuar como uma enzima sintética, catalisando o dióxido de carbono e iniciando o processo. Desta forma, será preciso menos espaço, podendo produzir metano de maneira eficiente através de materiais e em condições similares às que se encontram na superfície de Marte.

“O processo que desenvolvemos evita o processo [de decomposição] da água em hidrogênio e, ao invés disso, converte eficientemente o CO2 em metano com alta seletividade”, comentou Xin.

Os foguetes criados pela Lockheed e Boeing usam hidrogênio líquido como combustível. Apesar de ser barato e eficaz, deixa resíduos de carbono no motor do veículo, o que requer limpeza depois de cada lançamento, algo que seria impossível realizar em Marte.

Anteriormente, a empresa de Elon Musk utilizou uma infraestrutura solar para gerar eletricidade, o que resulta na eletrólise do dióxido de carbono, que quando é mesclado com água do gelo encontrado em Marte, produz metano.

Este processo, conhecido como reação de Sabatier, foi utilizado para produzir oxigênio a partir d’água. Um dos principais problemas com o processo de Sabatier é que é um procedimento de duas etapas que requer grandes capacidades para operar de maneira eficiente.

No entanto, o processo desenvolvido por Xin ainda está longe de ser implantado. O método foi testado com êxito em laboratório, porém, os especialistas não realizaram testes em condições reais.

“É necessária muita engenharia e pesquisa antes que isto possa ser implementado completamente. Porém, os resultados são muitos promissores”, observou.

Como aumentar a imunidade rapidamente 

Para aumentar a imunidade rapidamente deixando o corpo mais forte no combate aos agentes agressores deve-se:

Adotar bons hábitos de saúde, realizando atividade física, dormindo adequadamente e evitando situações de estresse;

Evitar o cigarro ou estar exposto ao cigarro;

Expor-se ao sol diariamente, de preferência até as 10 horas da manhã e depois das 16 horas, sem protetor solar, para aumentar a produção de vitamina D no organismo;

Consumir alimentos saudáveis e manter uma dieta equilibrada, que inclua o consumo de frutas, verduras e legumes, de preferência orgânicos ou produzidos em casa sem agrotóxicos;

Evitar ao máximo fast food e alimentos industrializados e comidas congeladas como pizzas e lasanhas, por exemplo, pois contém substâncias que promovem a inflamação do organismo;

Evitar tomar remédios sem orientação médica;

Beber cerca de 2 litros de água mineral ou filtrada todos os dias. 

Além disso, caso tenha alguma doença causada por vírus, como gripe, por exemplo, é importante evitar frequentar lugares públicos fechados, como shopping, teatros e cinemas, além de ser importante lavar as mãos frequentemente com água e sabão, assim como evitar tocar os olhos, nariz e a boca com as mãos sujas. Dessa forma, é possível reduzir o risco de adquirir a doença e de haver o desenvolvimento de complicações, principalmente no caso da pessoa possuir o sistema imunológico mais fraco.

VÍDEOS