CEO dos Jogos de Tóquio admite ‘séria preocupação’ com coronavírus

05 de fevereiro de 2020, 13:34

"Estou seriamente preocupado com a possibilidade de o vírus se espalhar", disse Toshiro Muto (Foto: Reprodução)

Um dos principais responsáveis pela organização dos Jogos Olímpicos de Tóquio, Toshiro Muto admitiu nesta quarta-feira que está “seriamente preocupado” com o coronavírus, que passou a se espalhar por outros países a partir da China. Faltam pouco menos de seis meses para a Olimpíada.

“Estou seriamente preocupado com a possibilidade de o vírus se espalhar e jogar água fria nas expectativas para os Jogos”, disse Muto, CEO do Comitê Organizador Tóquio-2020. “Espero que o vírus seja eliminado o mais rápido possível”, afirmou o japonês num encontro com dirigentes do Comitê Paralímpico Internacional.

A preocupação foi compartilhada por Saburo Kawabuchi, “prefeito” da Vila dos Atletas, que deve receber 11 mil esportistas durante os Jogos. “Eu realmente espero que a epidemia acabe logo para que possamos operar a Paralimpíada e a Olimpíada de forma suave”, declarou. “No pior cenário, vamos fazer o que pudermos para que os atletas possam ficar concentrados somente em suas performances esportivas.”

Os organizadores dos Jogos não repetiram diversas vezes nas últimas semanas que não tem planos de cancelar o grande evento esportivo. E a mesma posição vem sendo adotada pelo Comitê Olímpico Internacional (COI).

As dificuldades, contudo, vem crescendo ao longo dos últimos dias, em razão dos novos casos de coronavírus em diferentes países. Até torneios pré-olímpicos já foram adiados, cancelados ou transferidos para fora da China. Restrições para viagens também têm dificultado a organização destes eventos que dão vaga na Olimpíada.

Até agora o Japão não detectou nenhuma morte no país em razão do coronavírus. Mas, na China, país vizinho, já são 490 óbitos confirmados.

“No Japão, estamos enfrentando todo tipo de problemas, incluindo o coronavírus, segurança cibernética e sistema de transporte”, declarou na terça-feira Toshiaki Endo, um dos vice-presidentes do Comitê Tóquio-2020. “O COI está satisfeito com a nossa preparação [para os Jogos]”, completou.

DIVULGUE A NOTÍCIA

Justiça multa Facebook em R$ 6,6 mi por compartilhar dados de usuários

OMinistério da Justiça e da Segurança Pública (MJSP) decidiu multar o Facebook em R$ 6,6 milhões por compartilhamento indevido de dados de usuários cadastrados na rede social. A decisão foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) nesta segunda-feira, 30.

A multa, aplicada pelo Departamento de proteção e Defesa do Consumidor (DPDC), órgão do MJSP, acontece após investigação que identificou “prática abusiva” por parte da empresa de tecnologia, que teria deixado vulneráveis dados de 443 mil usuários.

Segundo nota publicada no site da pasta, “o caso começou a ser investigado após notícia veiculada pela mídia, em 4 de abril de 2018, informando que os usuários do Facebook, no País, poderiam ter sofrido com o uso indevido de dados pela consultoria de marketing político Cambridge Analytica”, que ganhou notoriedade global por ter trabalhado na campanha presidencial de Donald Trump, nos Estados Unidos, e também para a campanha do Brexit, como é conhecido o processo de saída do Reino Unido da União Europeia.

Pelo Twitter, o ministro da Justiça, Sérgio Moro, destacou a decisão do ministério e afirmou que “as redes revolucionaram a forma pela qual nos comunicamos e expressamos, mas há questões sobre privacidade a serem consideradas”. O Facebook tem dez dias para recorrer da decisão.

VÍDEOS