Celulares pré-pagos de 17 Estados devem ser recadastrados até esta 2ª feira

18 de novembro de 2019, 07:47

Usuário que não recadastrar e atualizar seus dados corre risco de ficar com o serviço bloqueado (Foto: Reprodução)

Termina nesta 2ª feira (18.nov.2019) o período para os donos de linhas telefônicas móveis pré-pagas de 17 Estados recadastrarem o número em suas operadoras.

Quem não fizer a atualização terá sua linha bloqueada. A medida vale para consumidores dos Estados de Alagoas, Amazonas, Amapá, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Roraima, Sergipe e São Paulo.

Só deve fazer a atualização quem tem alguma pendência cadastral. O alerta foi enviado pelas operadoras móveis por meio de mensagem SMS. Menos de 1% dos 91 milhões de celulares pré-pagos dos Estados estão enquadrados nesta situação.

Esta é última fase da 1ª etapa campanha coordenada pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) e realizada pelas prestadoras Algar, Claro, Oi, Sercomtel, Tim e Vivo, dentro do Projeto Cadastro Pré-Pago. O objetivo é montar uma base cadastral atualizada.

Em 2020, serão iniciadas a 2ª e a 3ª etapas do projeto: além da disponibilização de 1 Portal de Consulta de Linhas por CPF (em construção) a partir de 6 de janeiro, serão realizadas medidas para melhoria dos procedimentos de habilitação de novos chips.

A Anatel disponibilizará 1 site em que o cliente poderá acessar para descobrir se algum número está cadastrado em seu CPF. O endereço é cadastropre.com.br. A intenção, segundo a agência, é evitar fraudes e que os usuários possam descobrir se outras pessoas utilizam seus dados indevidamente.

Saiba como realizar a atualização

O usuário que tiver a linha pré-paga bloqueada poderá fazer a atualização de seus dados cadastrais com a operadora por meio de call center e espaço reservado ao consumidor na web.

Devem ser informados nome completo, endereço e CEP. Se pessoa física, deve informar também CPF. Se pessoa jurídica, o CNPJ.

Para garantir que a mensagem de solicitação de recadastramento recebido foi efetivada e encaminhada pela prestadora contratada, o consumidor pode conferir os números utilizados pelas operadoras para envio destas mensagens.

Eis os números:

Principais sintomas físicos e mentais da abstinência de nicotina

A síndrome de abstinência de nicotina provoca inúmeros sintomas nos ex-fumantes. Contudo, explica um artigo publicado no portal Melhor Com Saúde, esses efeitos colaterais variam em intensidade dependendo da pessoa. 

O fato da nicotina ser uma droga muito viciante faz com que o hormônio conhecido como dopamina seja liberado no cérebro – este hormônio é responsável por aumentar a sensação de prazer e bem-estar. E como tal, o organismo reage negativa e violentamente à ausência da droga.

Ainda assim, a síndrome de abstinência de nicotina não representa qualquer risco para a saúde. Estima-se que os sintomas associados à condição afetam até 85% dos ex-fumantes. 

Os sintomas desta síndrome variam, mas, sem dúvida alguma, o mais comum é a vontade de fumar que pode surgir na presença de múltiplos estímulos, como por exemplo ver outra pessoa fumar, ou inclusive sem uma causa aparente.

Os principais sintomas da síndrome de abstinência da nicotina são os seguintes, de acordo com o portal Melhor Com Saúde:

Sintomas físicos

Aumento do apetite
Tosse
Boca seca
Dor de cabeça
Tontura
Fadiga
Coriza (inflamação da mucosa das fossas nasais; rinite, defluxo)
Dor de garganta, na língua ou gengivas
Sensação de aperto no peito
Ganho de peso
Frequência cardíaca mais lenta ou bradicardia
Obstipação
Hipotensão

Sintomas mentais

Ansiedade, inquietação e irritabilidade
Dificuldade em se concentrar
Insônia e dificuldade para dormir bem
Raiva e frustração
Depressão
Desânimo
Mau humor

Os sintomas da síndrome de abstinência da nicotina normalmente duram de 4 a 12 semanas e surgem nas primeiras 12 a 24 horas após parar de fumar. 

Os especialistas explicam que a fase mais critica são as primeiras duas a três semanas de cessação tabágica. Sendo que os sintomas começam gradualmente a desaparecer e, com o tempo o indivíduo aprende a controlar o desejo de fumar. 

VÍDEOS