Municípios

Acerto na previsão da temperatura vai de 100% a apenas 48% nas capitais

08 de janeiro de 2024, 10:49

Foto: Reprodução

Os serviços mais assertivos no período foram o Climatempo e o próprio Inmet, que também divulga seus prognósticos, com taxas de 83,9% e 83,8%, respectivamente

É sexta-feira, você está no Rio de Janeiro e confere a previsão do tempo para planejar o fim de semana. Dependendo do aplicativo, a programação sairá bem diferente: Weather Channel e AccuWeather dizem que a temperatura mínima no sábado será de 26°C, enquanto o Inmet indica 19°C. Já a máxima chega a 37°C, segundo o Climatempo, mas não passa de 31°C para o Inpe.

A incerteza pode parecer exagerada, mas essa foi uma situação real observada no dia 10 de novembro. Análise da Folha de S.Paulo com dados de quase 10 mil previsões coletadas ao longo daquele mês, marcado por ondas de calor, mostra que a taxa de acerto desses cinco serviços meteorológicos variou de 100% a 48% nas capitais brasileiras.

O cálculo considera correta uma estimativa com até dois graus para mais ou para menos em relação à medição do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), registro oficial no Brasil. Para cada data, são contabilizadas as previsões feitas nos três dias anteriores (24, 48 e 72 horas).

Os serviços mais assertivos no período foram o Climatempo e o próprio Inmet, que também divulga seus prognósticos, com taxas de 83,9% e 83,8%, respectivamente. O pior resultado foi o do Weather Channel, provedor dos dados presentes por padrão na maioria dos celulares Android e Iphone, com 80,4%.
Acertos acima de 80% são satisfatórios para três dias de antecedência, mas o levantamento detalhado revela que os índices variam muito conforme a localidade.

De modo geral, as projeções para o clima na região Nordeste e Norte foram melhores. Em São Luís (MA), os cinco serviços tiveram precisão de 98% a 99% cada um. Macapá (AP) e Teresina (PI) completam a lista de capitais nas quais todos acertaram acima de 90% das estimativas. João Pessoa (PB), por sua vez, foi a única cidade em que um dos provedores, o Inmet, alcançou 100% de eficiência.

No outro extremo, os moradores e turistas do Rio de Janeiro foram os mais surpreendidos pela imprevisibilidade das temperaturas, considerando o agregado de todos os serviços analisados. O Weather Channel só acertou metade das estimativas (50,6%), e o melhor desempenho na cidade foi o do Climatempo (80%).

Na sequência aparece Aracaju (SE). No período, o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) teve uma precisão de apenas 48% na cidade, sendo este o pior resultado individual no levantamento. Os melhores provedores no município sergipano foram o Inmet e o Climatempo, empatados com 72% de eficiência.

A análise mostra ainda que foi mais difícil acertar as temperaturas máximas do que as mínimas. Em São Paulo, a imprevisibilidade foi tanta que nenhum serviço conseguiu antecipar o calor registrado em 4 dos 30 dias analisados, mesmo com a margem de dois graus para mais ou para menos.

Em 19 de novembro, por exemplo, o termômetro chegou aos 31°C na capital paulista, enquanto todas as estimativas para a temperatura máxima feitas nos três dias anteriores haviam ficado entre 23°C e 28°C, totalizando 15 previsões erradas.
Isso também aconteceu pelo menos uma vez no período nas cidades de Aracaju (SE), Campo Grande (MS), Cuiabá (MT), Curitiba (PR), Porto Velho (RO) e Vitória (ES).

A diferença de exatidão entre as empresas ocorre tanto por fatores computacionais quanto humanos, além, claro, do poder de investimento de cada uma em sistemas avançados.
Os serviços utilizam modelos matemáticos já processados em supercomputadores de grandes centros de meteorologia, em especial da Europa e dos Estados Unidos, que captam dados de todo o globo e estimam o comportamento das horas e dias seguintes. São centros governamentais ou organizações meteorológicas.

Esses modelos são, basicamente, softwares desenhados para simular a interação da atmosfera com outros tipos de superfície. As equações consideram registros atmosféricos em tempo real de todos os países (no Brasil, elas captam os dados do Inmet, por exemplo), além de dados de chuva, umidade, vento, pressão, insolação, entre outros. Todos esses sinais surgem a partir de variadas fontes –estações meteorológicas, satélites, boias oceânicas e radares.

Com a fotografia do momento de cada cidade, registros históricos, estatística e análise preditiva, os modelos emitem resultados numéricos, que são disponibilizados aos serviços de meteorologia, como Climatempo e Accuweather. Cabe às empresas, então, interpretar e analisar os dados, um trabalho humano. São os profissionais que corrigem e calibrar os números partir do conhecimento de cada região.

Algumas empresas também podem desenvolver modelos próprios e implementar seus radares para captar dados. “Além de utilizar aprendizado de máquina, usamos mais de 170 modelos de previsão numérica, incluindo modelagem proprietária e governamental, como do ECMWF [Centro Europeu de Previsões Meteorológicas a Médio Prazo, em inglês] e do Sistema Global de Previsão dos EUA”, diz a Accuweather, em nota.

As diferenças entre aplicativos dependem, então, da escolha entre as dezenas de modelos, da resolução espacial de cada um e de uma supervisão subjetiva.

“Existe às vezes uma dificuldade em cidades litorâneas, porque o ponto de referência fica muito próximo do oceano, ou mesmo no oceano, o que diminui a precisão da temperatura. Próximo de um corpo d’água muito grande, a temperatura vai variar menos. Mas se você andar um quilômetro para dentro da cidade, a temperatura varia muito mais”, diz Vinícius Lucyrio, meteorologista da Climatempo.

Outra dificuldade é que o Brasil tem menos estações meteorológicas do que Estados Unidos e Austrália, por exemplo, o que muda a condição inicial dos cálculos de previsão.
Apesar disso, os serviços têm avançado ao longo dos anos no Brasil e o no mundo, e a expectativa de especialistas é que se aperfeiçoem com o avanço da inteligência artificial e mais registros históricos.

“Diversos trabalhos e monitoramentos apontam para a melhora da qualidade nas previsões de tempo e de clima no mundo. Elas estão ganhando prazo de previsibilidade”, diz Saulo Ribeiro Freitas, doutor em física pela USP e diretor no Inpe. “Quando você olha para a década de 1980, a previsão para cinco dias não era confiável. A de três dias tinha uma qualidade na faixa de, no máximo, 60% de acurácia. Hoje, a previsão para cinco dias já está para a faixa acima da marca de 80%, ou seja, é confiável.”

Segundo ele, o supercomputador do Inpe –centro que faz o processamento no Brasil– está atrasado em relação à inovação, mas o instituto deve receber recursos do do Ministério de Ciências e Tecnologia para a compra de um novo equipamento, o que deve aumentar a exatidão de suas análises.

Além disso, um comitê científico de 30 instituições de pesquisa está desenvolvendo uma nova geração de modelos específicos para o Brasil, o Monan (sigla em inglês de Modelo para Previsão dos Oceanos, Superfícies Terrestres e Atmosfera). “Trata-se um esforço nacional para desenvolver um sistema ajustado para as nossas condições, da Amazônia, das montanhas dos Andes, da região tropical, para melhorar as informações”, diz Freitas.

METODOLOGIA
A Folha de S.Paulo coletou as previsões de temperatura mínima e máxima feitas por cinco serviços de referência e que disponibilizam os próprios dados via interfaces de programação para softwares e aplicativos (APIs). São eles: Accuweather, Climatempo, Inmet, Inpe e Weather Channel.

As estimativas foram então comparadas às temperaturas oficiais verificadas nas estações do Inmet. Para cada data de medição, a análise considerou as previsões feitas nos três dias anteriores (24, 48 e 72 horas). A taxa final corresponde ao percentual de acertos em relação ao total de prognósticos, considerando uma margem de dois graus celsius para mais ou para menos.

Esse modelo premia quem começa a acertar com maior antecedência e foi baseado na metodologia do Forecast Advisor, plataforma de avaliação dos canais meteorológicos dos Estados Unidos e do Canadá.

O levantamento foi realizado entre os dias 1° e 30 de novembro deste ano. Boa Vista (RR), Natal (RN), Maceió (AL) e Recife (PE) foram excluídas da análise porque não tiveram dados suficientes registrados pelas estações do Inmet no período.

Folhapress

Leia mais...

Batida entre caminhão e ônibus de turismo deixa 25 pessoas mortas e cinco feridas

08 de janeiro de 2024, 10:20

Foto: Reprodução

Uma batida entre um caminhão e um ônibus de turismo deixou 25 pessoas mortas e 5 feridas na noite de domingo, 07, na BR-324, em trecho da cidade de São José do Jacuípe, no norte da Bahia, a cerca de 290 km de Salvador.

Segundo informações do coordenador da Brigada Anjos Jacuipenses, Lucival Souza, que atuou no resgate das vítimas, o acidente aconteceu por volta das 22h30, no km 381, próximo da cidade de Gavião, no sentido de Jacobina.

As 25 vítimas que morreram são: 22 pessoas que estavam no ônibus e três no caminhão. 24 delas morreram no local do acidente e uma após ser levada para um hospital da região. Entre elas estão homens, mulheres, gestante, crianças e adolescentes.

Ainda não há informações sobre o que causou a batida. O caminhão transportava mangas.

A Brigada Anjos Jacuipenses informou que uma das vítimas feridas foi levada para o hospital da cidade de Capim Grosso e as outras cinco para uma unidade de saúde de Nova Fátima.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou que algumas das vítimas foram transferidas para hospitais de Salvador e Feira de Santana. Não há detalhes sobre o estado de saúde delas.

De acordo com a PRF, a pista, por volta das 6h30 desta segunda-feira, 08, seguia interditada.

Os passageiros do ônibus passaram o final de semana na praia de Guarajuba, distrito turístico de Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador, e tinham Jacobina, onde moravam, como destino.

Em nota, a Prefeitura de Jacobina lamentou o acidente e informou decretou três dias de luto oficial no município. Afirmou ainda que organiza um velório coletivo no ginásio de esportes municipal. Ainda não há previsão de data e horário.

A gestão municipal afirmou ainda que também atua para agilizar a liberação e transferência dos corpos para Jacobina.

G1

Leia mais...

Integração entre universidade e escolas estaduais fortalece a Educação Básica

05 de janeiro de 2024, 11:30

Foto: SEC/BA

Por meio de uma aliança educacional, fomentada pela Secretaria da Educação do Estado da Bahia, universidades públicas da Bahia desenvolvem atividades em conjunto com unidades escolares para fortalecer a Educação Básica. Essa colaboração otimiza recursos, estratégias pedagógicas e infraestrutura, visando elevar a qualidade do ensino em todas as etapas. Um exemplo é a parceria entre a Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC) e o Colégio da Polícia Militar Rômulo Galvão (CPMRG), em Ilhéus, que acontece desde 2015, e desencadeou, através do Departamento de Ciências Exatas, um treinamento olímpico para ajudar os estudantes na segunda fase da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP).

A partir das Oficinas de Matemática Experimental surgiu a ideia de treinar os discentes do CPMRG para participarem da segunda fase da OBMEP. O treinamento tem sido essencial para preparar os alunos que enfrentam os desafios complexos da prova.

O vice-diretor do Departamento de Ciências Exatas da UESC, Nestor Centurion, explicou como funciona a participação da universidade na preparação dos estudantes. “Em 2023, juntamos cinco professores da área de Matemática da UESC e dois discentes de bacharelado para treinar os alunos para a segunda fase da OBMEP. Em conjunto com um professor de Matemática da escola, trabalhamos com esses meninos em três sábados e focamos no perfil dissertativo das questões. Percebemos que as discussões tiveram êxito, o nível de raciocínio e de escrita foram melhorando ao longo dessas três aulas e vimos os resultados através das premiações recebidas pelos alunos”.

Ao conquistarem medalhas regionais e nacionais, esses alunos posicionaram o CPMRG como a única escola pública não seletiva da Bahia que ficou entre as sete instituições com maior pontuação do país, levando em consideração os 15 grupos de competição. Dos 1.200 inscritos, 66 avançaram para a segunda fase, resultando em 8 medalhas nacionais, 16 regionais e 20 menções honrosas, envolvendo estudantes do 6º ano ao Ensino Médio.

O professor de Matemática do CPMRG de Ilhéus, Eudson Cardoso, compartilhou o papel da escola nesse processo. “Aqui na escola não focamos somente na Matemática, mas tentamos trazer a interdisciplinaridade para sala de aula. Conseguimos agregar várias áreas do conhecimento, mostrando para os alunos que a matemática está inserida em várias outras disciplinas, como português, história e geografia. Acho que esse é um grande diferencial da nossa escola, nós estamos tentando desmistificar a matéria para os estudantes e mostrar não só o conteúdo, mas que é bem fácil de aprender”, disse.

Iago Alves Dias, 14 anos, é o primeiro ilheense a receber uma Medalha de Ouro Nacional na OBMEP. Seu percurso destaca o impacto positivo da integração entre Ensino Superior e Educação Básica, fortalecendo a educação no cenário nacional. “Dos três treinamentos oferecidos pela UESC eu participei de dois. Os professores da universidade explicavam o assunto de uma forma mais fácil de ser entendida e revelavam visões sobre a matemática que eu e outros colegas nunca tínhamos visto. Eu achava que eu iria ganhar uma medalha de bronze na OBMEP e quando eu ganhei a medalha de ouro foi uma sensação muito boa, pois era uma prova que eu achava muito difícil. Ficar nessa posição foi incrível pra mim e eu agradeço muito aos professores da CMPRG e da UESC”, afirmou.

Além do ouro OBMEP, Iago também se destacou outras olimpíadas e competições, conquistando o primeiro lugar na Competição Gênios da Ciência, da Fundação Internacional Siemens (Alemanha), nos anos de 2021 e 2022 e nas Olimpíadas Brasileira de Astronomia e Astronáutica (2021, 2022 e 2023); de Matemática do Sul da Bahia (2022 e 2023); e Nacional de Eficiência Energética (2022). Recebeu a medalha de prata na Olimpíada do Bicentenário da Independência do Brasil (2022); e medalha de bronze na Mostra Brasileira de Foguetes. Também conquistou alguns títulos, como o de Cientista cidadão da NASA, nos projetos Imagens do Céu Profundo (LCO e MCTI) e Caça aos Asteroides. No CPMRG de Ilhéus, foi promovido a Segundo Sargento, recebendo a medalha de ouro e o primeiro lugar em mérito intelectual e maior nota da escola; a Subtenente do Colégio, conquistando a medalha de prata e o segundo lugar em mérito intelectual e segunda maior nota da escola; e monitor bolsista do programa Educa Mais Bahia, atuando na área de Matemática.

Ascom/SEC – BA

Leia mais...

Territórios quilombolas são as áreas menos desmatadas do país

05 de janeiro de 2024, 09:54

Foto: Agência Brasil

Os territórios quilombolas brasileiros figuram na lista de áreas com menor desmatamento do país. Segundo levantamento divulgado na quarta-feira (13) pelo MapBiomas, no período de 1985 a 2022, a perda de vegetação nativa nesses territórios foi de 4,7%, enquanto áreas privadas registraram porcentagem de 25%.

Conforme ressalta o MapBiomas, foram destruídos 240 mil hectares de vegetação nativa, ao longo dos 38 anos analisados.

Territórios quilombolas titulados ou com processo de titulação em andamento totalizam 3,8 milhões de hectares, que correspondem a somente 0,5% do território nacional. De acordo com o MapBiomas, há bastante diferença entre o que se nota de perda de vegetação nativa, ao se comparar territórios já titulados e os que têm titulação pendente. No período observsado para o levantamento, os primeiros perderam 3,2%, contra 5,5% da segunda categoria. Em média, acrescenta o MapBiomas, as comunidades ocupam 14% das áreas com atividades humanas.

A vegetação nativa dos territórios quilombolas concentra-se principalmente na Amazônia (73%), no Cerrado (12%) e na Caatinga (10%). Entre 1985 e 2022, os territórios quilombolas da Caatinga foram os que mais viram a vegetação nativa desaparecer (72,6 mil hectares). Em seguida, vêm os da Amazônia (58,4 mil hectares) e os do Cerrado (36,7 mil hectares). Na Mata Atlântica, ocorreu o inverso: houve um ganho de 7,8 mil hectares.

A maioria dos territórios quilombolas (181) está localizada na Amazônia. Atrás, estão a Mata Atlântica (136), Caatinga (94), Cerrado (63) e Pampa (20). A Amazônia também totaliza a maior área, com 2,5 milhões de hectares, vindo à frente da Caatinga (550 mil hectares) e do Cerrado (500 mil hectares), que  aparecem em segundo e terceiro lugar, respectivamente. A Mata Atlântica e o Pampa somam 278 mil e 6,5 mil hectares.

Agência Brasil

Leia mais...

BA: destino turístico proíbe uso de animais para transporte após morte de cavalo

05 de janeiro de 2024, 09:21

Foto: Reprodução

A prefeitura de Cairu, município ao qual pertence o destino turístico de Morro de São Paulo, na Bahia, proibiu o uso de veículos de tração animal e a exploração de animais para o transporte. De acordo com o decreto publicado nesta quinta-feira, 4, não podem mais ser utilizadas “carroças, charretes e outros meios de transporte similares”.

A prefeitura afirma ainda que promoverá diálogos com as representações de transportes que utilizam tração animal e demais representações, para construção de solução definitiva e segura para a resolução da questão. A medida foi tomada após viralizar um vídeo em que um cavalo morre na praia da ilha.

As imagens foram compartilhadas pela ativista e influenciadora Luisa Mell, que celebrou a publicação do decreto. “Vitória da causa animal!”, escreveu ela, que pediu ajuda para que a mesma medida seja adotada em Caraíva, outro famoso destino baiano.

Morro de São Paulo pode ser acessada apenas por via marítima e, por isso, não há automóveis na ilha. Os veículos de tração animal costumam ser usados para o transporte de pessoas e de materiais na região.

Terra

Leia mais...

Caém: Prefeitura realiza cerimônia de posse dos diretores e vice-diretores das escolas municipais

03 de janeiro de 2024, 09:55

Foto: Ascom/PMC

A Prefeitura de Caém, por meio da Secretaria de Educação, realizou na tarde desta terça-feira (2), a assinatura do termo de posse dos gestores escolhidos após um processo de qualificação profissional e por votação, para os cargos comissionados de diretor e vice-diretor das escolas municipais de Caém para o biênio 2024/2026.

A cerimônia de posse aconteceu na sala de reuniões do prédio da Prefeitura e contou com as presenças do prefeito Arnaldo Oliveira (Arnaldinho) e do secretário de Educação Ronaldo Alves.

Durante o evento, o prefeito agradeceu aos envolvidos no processo e falou do compromisso assumido pelo município em cumprir com as condicionalidades previstas na legislação, ressaltando o importante papel da direção escolar no desenvolvimento e na qualidade da educação. Arnaldinho destacou ainda a participação de todos os profissionais da Educação Municipal, do Conselho de Educação e da APLB.

O chefe do Executivo Municipal elencou os avanços na educação de Caém, tanto em suas estruturas físicas, com construções, reformas e ampliações de prédios escolares e creches, como na valorização do profissional, lembrando que foi um dos primeiros municípios a pagar o piso do magistério.

“Precisamos perseguir fortemente uma educação de qualidade e diferenciada em nosso município. Vamos continuar trabalhando para fazer uma escola pública diferenciada. É uma tarefa árdua, de grande responsabilidade, pois a Educação é o principais pilares sustentador da cidadania, da formação do indivíduo, por isso temos trabalhado para melhorar mais a cada dia”, disse o prefeito.

Leia mais...

Prefeito de Caém encerra o ano com entregas de obras no distrito de Gonçalo (Fotos)

01 de janeiro de 2024, 16:09

Foto: Ascom/PMC

A gestão do prefeito Arnaldo Oliveira (Arnaldinho), de Caém encerra o ano de 2023 como começou, entregando obras. Neste domingo, dia 31, a população do distrito de Gonçalo recebeu duas importantes intervenções físicas, a cobertura de onde irá funcionar a feira livre da localidade e dois sanitários públicos com acesso especial para atender o local.

O último dia do ano foi um momento de confraternização, mas também de comemoração para a maior concentração urbana do interior do município. Depois de receber a pavimentação asfáltica da estrada que liga a comunidade a BR 324, um trecho de 12 quilômetros, a cobertura da nova feira, com entrega também de barracas para os feirantes, é mais uma ação que marca a presença e o compromisso do Governo Municipal com o moradores de Gonçalo.

Com as presenças de secretários, vereadores, o vice-prefeito Silmar Matos e a comunidade local, o prefeito Arnaldinho fez a entrega do Pátio da Feira Livre, denominado de Elias Bispo dos Santos, uma homenagem a um dos baluartes dos distrito.

O chefe do Executivo de Caém ressaltou a importância da cobertura para os feirantes, mas principalmente para a população que antes dispunha de um local sem estrutura para fazer suas compras. Arnaldinho destacou ainda as obras que estão em andamento e as que estão por vim em todo o município, como o auditório com capacidade para mais de 140 lugares e um refeitório no complexo de escolas do Gonçalo.

Leia mais...

Em emissoras de rádio da região o prefeito de Caém destaca as ações de sua gestão

29 de dezembro de 2023, 15:08

Foto: Ascom/PMC

Para a já tradicional mensagem de ‘boas festas de final de ano’, o prefeito de Caém, Arnaldo Oliveira (Arnaldinho), esteve participando de programas jornalísticos de emissoras de rádio da região. Na semana do Natal visitou a Paiaiá FM, da cidade de Saúde, nesta quinta (28), foi o entrevistado do radialista João Batista Ferreira, da Jaraguar FM, de Jacobina. Já nesta sexta-feira (29), foi recebido por Maurício Dias da Clube FM, também de Jacobina.

Arnaldinho fez um resumo dos três anos da sua gestão, elencando a quantidade de ações realizadas até o momento, das que estão em fase de conclusão e as que estão por vir, destacando as grande mudanças que vem acontecendo no município, principalmente nas áreas que considera essenciais como a saúde, educação, ação social, agricultura e infraestrutura.

O chefe do Executivo de Caém destacou as parcerias com os governos estadual e federal, responsáveis, conforme o gestou, pelos principais investimentos, como a construção da tão sonhada pavimentação asfáltica da estrada que liga o distrito de Gonçalo a BR 324, um trecho de 12 quilômetros; o colégio de tempo integral que abrigará, além de 12 salas de aula, laboratórios, biblioteca, um complexo esportivo com ginásio de esporte, pista de atletismo, campo de futebol society, piscina e um auditório; a reforma do Estádio Municipal, as construção de quatro praças com equipamentos modernos no povoado de Piabas, a creche para 120 crianças na comunidade quilombola de Várzea Queimada; os auditórios e refeitórios da sede e do distrito de Gonçalo; na Saúde, a sala de estabilização (Unidade Semi-Intensiva), o Centro de Especialidades Médicas, o retorno das cirurgias e equipes de saúde no Hospital Municipal; na Educação, a valorização dos profissionais e o cuidado com a classe estudantil ao oferecer todas as condições uma educação municipal de qualidade; entre outros.

O prefeito ressaltou ainda, a responsabilidade com o erário e o respeito com os servidores, lembrando que Caém foi um dos primeiros municípios baianos a pagar o piso do magistério e o da enfermagem.

“Nosso compromisso é com nosso povo. Temos uma equipe que trabalha para melhorar a vida da nossa população. Já conseguimos avançar muito, mas continuaremos trabalhando para avançar muito mais. Quero. Quero ratificar o nosso compromisso de honrar a função que meus conterrâneos me confiaram”, salientou o prefeito Arnaldinho.

Acompanharam o prefeito, vereadores e secretários municipais.

Na Rádio Clube FM o prefeito foi entrevistado por Maurício Dias e Marcílio Alves
Paiaiá FM
Leia mais...

De bicicleta, jovem caenense vende geladinho para pagar faculdade de fisioterapia

26 de dezembro de 2023, 15:47

Foto: Gervásio Lima

O seu próprio nome é um prenúncio do que é e o que ainda está por acontecer na vida da jovem Itala Vitória Barbosa Oliveira. Sua história é digna de elogios e, principalmente, de exemplo.

Moradora da Fazenda Caém de Baixo, uma comunidade rural próximo da sede da cidade de Caém, itala que irá completar 20 anos de vida no próximo dia 30 de dezembro, é a filha caçula de dona Antonieta maria e de Seu Ivanilson Oliveira, pequenos agricultores.

As vendas de geladinho, uma espécie de sorvete ensacado, trufas e salgados, e trabalhar de garçonete nas horas vagas, como a mesma chama os momentos em que não está estudando, são as principais fontes de renda da futura fisioterapeuta caenense.

Itala, ou Vitória, como queira chamar, está no segundo semestre de fisioterapia em uma universidade particular em Jacobina, a pouco mais de 30 quilômetros de sua residência. Além de contribuir nas despesas de sua casa, a estudante ainda tem que pagar a mensalidade do seu curso.

Amante do atletismo, assim como em sua vida, vive literalmente na correria, sendo destaque em competições de corrida de rua na Bahia e em Pernambuco, neste último ela se orgulha em dizer que foi quarta colocada no geral numa importante prova.

“Meu sonho é proporcionar uma qualidade de vida melhor para minha família, ser reconhecida como uma boa profissional da fisioterapia e do atletismo”. Este é o desejo da humilde e muito carismática Vitória.

Leia mais...

Adolescente de 15 anos é vítima de estupro coletivo em festa de Natal na BA

26 de dezembro de 2023, 08:57

Foto: Reprodução

Uma adolescente de 15 anos foi vítima de um estupro coletivo após ser convidada para uma suposta festa de Natal, na noite deste domingo (24), na cidade de Santana, no Oeste da Bahia.

Três garotas, de 13, 15 e 17 anos, contaram à polícia terem sido convidadas por dois adolescentes para uma festa de Natal. O encontro seria em uma casa, na região central de Santana, perto da rodoviária do município.

A jovem de 15 anos relata que, ao chegarem à residência, ela foi surpreendida por três adolescentes, que a agrediram fisicamente e a obrigaram a manter relação sexual com eles, contou o delegado Leyvison Rodrigues, que investiga o caso, à TV Oeste, afiliada da TV Globo.

O caso revoltou os moradores de Santana, de pouco mais de 26 mil habitantes, a 203 km de Barreiras, principal município do Oeste baiano.

“Em diligência, a PM (Polícia Militar) encontrou um desses três adolescentes em um hospital local, pois ele teria sofrido agressões por parte de populares que ficaram sabendo do ocorrido”, informa o delegado.

Após medicado, o adolescente foi conduzido à delegacia de Santana, onde foi feito um auto de apreensão em flagrante. Ele aguarda decisão de audiência de custódia Justiça.

Os dois outros adolescentes não foram encontrados. “As investigações continuam para que eles possam ser encontrados e responsabilizados pelos seus atos”, afirma Rodrigues.

Folhapress

Leia mais...

Boas Festas!

VÍDEOS