ESPORTES

Bahia lança camisas desenhadas por torcedor com inspiração nos anos 80

14 de dezembro de 2019, 07:23

Foto: Divulgação

Clube vestido por marca própria, a Esquadrão, o Bahia lançou suas camisas 1 e 2 para a temporada 2020. Os desenhos foram criados por um torcedor e captados durante a ação “Manto do Esquadrão 2.0”, iniciada em julho. Os dois projetos são assinados pelo torcedor Michel Neuhaus.

Michel se inspirou nos anos 80 para criar os modelos. Seus desenhos levaram a melhor em votação aberta no site oficial do Bahia.

Uma camisa 3 vinda da ação ainda será lançada. O modelo vencedor em votação será revelado apenas em 2020.

VEJA AS NOVAS CAMISAS

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Rússia é banida de competições e está fora de Olimpíadas e Copa

09 de dezembro de 2019, 10:40

Foto: Reprodução

A Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês) decidiu nesta segunda-feira (9) banir a Rússia de competições oficiais por quatro anos por causa dos escândalos de doping envolvendo atletas do país.

Com a punição, a Rússia ficará fora dos Jogos Olímpicos de 2020, em Tóquio, e campeonatos mundiais que sigam regras da Wada como a Copa do Mundo de Futebol em 2022, no Qatar. Também não poderá participar dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2022, em Pequim, nem organizar ou sediar eventos esportivos oficiais.

A Rússia tem 21 dias para recorrer da decisão ao Tribunal Arbitral do Esporte (TAS). Caso entre com o recurso, as sanções aplicadas pela Wada ficam suspensas até que o TAS as confirme ou rejeite.

Por unanimidade, o comitê da Wada aprovou as sanções porque a Agência Antidoping Russa (Rusada) teria falsificado dados dos controles antidoping entregues à entidade no início do ano.

Atletas russos que não foram envolvidos nas supostas fraudes em testes de doping poderão participar de competições oficiais como atletas independentes ou por outros países.

A entrega de milhares de dados brutos de controle antidoping, armazenados nos servidores do antigo laboratório de Moscou, sob a supervisão do Comitê de Investigação da Rússia, era uma condição imposta pela Wada para retirar, no final de 2018, a suspensão anterior da Rusada.

O órgão antidoping mundial esperava, assim, trazer à luz os controles positivos que não tiveram consequências, abrir processos disciplinares contra atletas e encerrar o caso uma vez por todas. Mas especialistas enviados pela Wada descobriram que “centenas” de resultados suspeitos foram apagados, alguns entre dezembro de 2018 e janeiro de 2019, pouco antes da entrega dos dados.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

“Pode ser a última”, diz Gabigol sobre seu jogo pelo Fla contra o Avaí

04 de dezembro de 2019, 16:19

Foto: Wagner Meier/Getty Images

O duelo contra o Avaí, nesta quinta pelo Brasileirão, será o último do Flamengo no Maracanã no ano. Com o Hepta garantido e uma série de recordes em jogo, a torcida lotará o estádio no “até logo” ao time, que ainda enfrenta o Santos, como visitante, na rodada final do torneio antes de embarcar para o Mundial de Clubes no Qatar, Contudo, a partida também pode ser o “adeus” de um dos grandes nomes do Flamengo da temporada aos rubro-negros no Rio de Janeiro.

Gabigol, com contrato de empréstimo perto do fim e futuro ainda indefinido, comentou a expectativa para este encontro com a Nação no Maracanã. Sem confirmar ou negar que esta será sua despedida diante da torcida, o camisa 9 colocou-se à disposição de Jorge Jesus confiante em fazer uma grande atuação.

“Vai ser especial para mim. Desde a primeira vez no Maracanã. Pode ser a última, a gente não sabe. Estou muito animado para esse jogo, espero que esteja com casa lotada. Se eu voltar a jogar, vou ficar muito feliz também”, afirmou o atacante, autor de 42 gols em 2019.

“Não tenho pensado nisso. Só tenho pensado nos últimos jogos, no Mundial. Todos têm sonhos. Estou realizando um no Flamengo, tudo tem saído perfeito. Recordes, títulos… Está sendo conversado, mas não há nada certo. Se for da vontade de Deus, que eu fique”, afirmou Gabigol no CT do Ninho do Urubu.

As tratativas pela permanência de Gabigol no Flamengo já foram iniciadas. Em novembro, o vice-presidente de futebol Marcos Braz chegou a dizer que a negociação com a Inter de Milão, clube com o qual o atacante tem contrato, estava “bem encaminhada”, com a definição dependendo apenas do jogador.

Para contar com o camisa 9 nas próximas temporadas, o Flamengo precisará comprá-lo da Internazionale de Milão. O valor do negócio é estipulado em torno dos 16 milhões de euros, cerca de R$ 75 milhões. Aos 23 anos, Gabriel Barbosa já defendeu o Santos – clube onde foi revelado – e o Benfica, além do próprio clube da Itália, com o qual seu contrato é válido até junho de 2022.

Confira outras respostas do atacante:

Se considera ídolo da Nação?


“Difícil me achar ídolo. Fica mais com vocês. Onde vou sinto o carinho da criançada. Esse do Palmeiras foi engraçado, porque o menino disse que queria um gol meu, apesar de ser Palmeiras. Acho que por causa da comemoração, cabelo diferente, gols… Tudo isso mexe”.

Parceria com Bruno Henrique e Arrascaeta

“Muito feliz por eles [BH e Arrascaeta]. Joguei pouco com o Bruno no Santos, mas convivemos bastante. No início, quase morei junto com o Arrascaeta, praticamente. Que eles continuem me ajudando a bater os recordes. Se não fosse eles, não aconteceria”.

“Tatuei a taça porque foi um momento lindo. Toda a campanha. Título, a volta como foi… Momento inesquecível. Muito legal ver o carinho dos torcedores. Tem até músicas já falando de 2019. Vai ficar marcado para todos”.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Após títulos, presidente de Portugal quer condecorar Jorge Jesus

25 de novembro de 2019, 14:50

Foto: Reprodução

As conquistas da Copa Libertadores e do Campeonato Brasileiro pelo Flamengo neste final de semana elevaram muito o status do técnico Jorge Jesus. Nesta segunda-feira, em meio à festa rubro-negra, o treinador português será homenageado pela Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro com o título de Cidadão Honorário do Rio de Janeiro e foi lembrado também em sua terra natal.

Em entrevista a jornalistas em um evento em Lisboa, o presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, revelou nesta segunda-feira que já felicitou Jorge Jesus pelas conquistas do Flamengo e que pensa em condecorá-lo pelo seu sucesso no Brasil.

“Enviei diretamente um abraço amigo e ele mostrou-se feliz pela lembrança dizendo que tinha Portugal sempre no pensamento”, afirmou o presidente português, que destacou que Jesus “leva Portugal mais além”, recordando que o treinador levou consigo a bandeira de Portugal durante grande parte das comemorações.

“Aí está a gratidão a Portugal. Estava representando um clube brasileiro, com jogadores de várias nacionalidades, em uma competição latino-americana, sempre dizendo ‘eu sou Português’, ‘onde eu estou está Portugal’. Sempre que um português é excelente em todos os domínios da atividade, ficamos orgulhosos em nome de Portugal”, completou Marcelo Rebelo de Sousa.

O presidente comentou ainda que estuda homenagear Jorge Jesus pelos feitos conquistados no Brasil. “Quero ter a certeza que não há injustiças e que outros portugueses que tenham vencido competições continentais como esta, mas que não esta (Libertadores), tenham sido condecorados”, acrescentou, relembrando “a generosidade” que tem mostrado, desde que tomou posse, a figuras do esporte de Portugal.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Por que Gabigol foi expulso após marcar dois gols na final da Libertadores

24 de novembro de 2019, 10:51

Foto: Reprodução/TV Globo

O relógio marcava 50 minutos do segundo tempo quando Gabigol foi expulso pelo árbitro chileno Roberto Tobar na final do último sábado (23). As imagens da TV ainda mostravam o cartão vermelho aplicado para o volante Ezequiel Palacios, do River Plate. A grande maioria do público no estádio observava a confusão. Herói do bicampeonato ao marcar dois gols na virada do Flamengo na final da libertadores deixou o campo revoltado. O que pouca gente soube foi o motivo da expulsão: o camisa 9 rubro-negro fez gestos obscenos para o banco e para a torcida adversária.

Logo após marcar seu segundo gol na partida, o atacante passou muito tempo comemorando e levou um cartão amarelo por tirar a camisa, em gesto que costuma repetir quando balança as redes em jogos importantes, mostrando seu nome e número para a torcida rubro-negra.

Na sequência do jogo, com o Flamengo segurando a vitória histórica no campo de ataque, Bruno Henrique foi atingido por Palacios em lance que gerou a expulsão do argentino e deu início a uma confusão. Na outra metade do gramado, Gabigol se dirigiu ao campo de defesa para beber água e sacudiu os órgãos genitais em direção a argentinos nas arquibancadas. Depois, repetiu o gesto também na direção de alguns atletas do River Plate, revoltando os “hermanos”.

O juiz principal, envolvido na confusão do outro lado do campo, não viu. Mas os auxiliares e o quarto árbitro sinalizaram. O chileno Roberto Tobar, então, lhe deu cartão vermelho direto. Na saída de campo, o jogador foi contido pela comissão técnica.

A figura de Gabigol exaltado pela polêmica não durou muito, no entanto. Bastou pouco mais de um minuto para que a exaltação fosse de alegria. Com o apito final, o atacante passou, então, a celebrar o sonhado título que ajudou a dar à torcida rubro-negra após 38 anos.

Dúvida no Fla sobre o Mundial

Em que pese toda felicidade pelo título histórico, o Flamengo se preocupava com Gabigol após a expulsão. A diretoria ainda não tinha uma resposta exata sobre quando o jogador deverá cumprir a suspensão.

Enquanto uns acreditam em uma punição somente na Libertadores de 2020, há, internamente, quem acredite que o atacante possa cumprir a pena na Recopa Sul-Americana em 2020. Outros chegaram a cogitar que ele desfalque a estreia do Mundial de Clubes a ser realizado nas próximas semanas, em Doha. Tudo, no entanto, só será esclarecido a partir de segunda-feira.

 

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Governador Wilson Witzel se ajoelha para Gabigol, que o esnoba

24 de novembro de 2019, 10:26

Foto: Reprodução/YouTube

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, se ajoelhou diante do jogador do Flamengo Gabigol e foi ignorado. O episódio foi no no estádio Monumental de Lima, no Peru, durante a comemoração do clube pelo título de campeão da Taça Libertadores de 2019.

Em imagem captada pelo repórter cinematográfico Edu Bernardes, da Rede Globo, mostra o momento em que o governador se ajoelha e pega na mão do jogador, que, em seguida,  olha para o lado esquerdo e sai andando.

Assista ao momento:

O camisa 9 rubro-negro foi o destaque do Flamengo na final da Libertadores, ao marcar os 2 gols que levaram a vitória do time por 2 a 1 sobre o River Plate. Também foi premiado como artilheiro do campeonato, com 9 gols.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Conmebol prepara estádio da final da Libertadores às pressas

20 de novembro de 2019, 12:47

Foto: Reuters

A mudança de sede da final da Libertadores obriga a Conmebol a correr com a preparação do estádio. O Monumental Universitario está longe de estar pronto a três dias da decisão entre Flamengo e River Plate: faltam desde faixas com as marcas da competição e de patrocinadores até cadeiras que ainda estão sendo colocadas. O clima no local é de obras de última hora.

A Conmebol tinha investido em uma pequena reforma no Estádio Nacional de Santiago, que receberia o jogo. Por isso a resistência em trocar de local. Enfim, no início de novembro, uma reunião selou alteração para Lima, após semanas de convulsão social no Chile.

Por conta dos preparativos de última hora, a Conmebol não deixou veículos entrarem no estádio ontem (terça-feira), sendo exceção os donos de direitos da competição como Fox Sports e Globo. A instrução era clara de que o Monumental ainda não deveria ser mostrado enquanto não estivesse pronto.

Na área externa, ainda havia acessos de entrada sendo instalados, placas com as marcas da Libertadores encostadas nas grades e operários dando mão de tinta na pintura marrom clara da arquibancada. Patrocinadores do Universitario ainda tinham suas marcas exibidas, sem ainda presença dos parceiros comerciais da Conmebol.

 

Internamente, uma questão é que, quando o estádio foi escolhido, havia vários assentos quebrados que tiveram de ser substituídos, o que ainda está ocorrendo no início desta semana. Os assentos são do tipo que era usado em estádio mais antigos no Brasil, sem encosto.

A administração do Monumental informou que alugou o estádio e, a partir daí, tudo tem corrido por conta da Conmebol. Não havia uma renovação no local desde a sua construção, há 20 anos. Embora seja um estádio novo, o Monumental tem uma aparência envelhecida, talvez fruto da sua arquitetura mais antiga e dessa falta de manutenção. As grades externas têm arames farpados no topo, algo também já abolido em equipamentos mais modernos.

 

A escolha de Lima ocorreu por ter sido uma opção de emergência com falta de alternativas, pelo Monumental ser um estádio de grande capacidade (receberá 60 mil pessoas) e pelo melhor acesso da capital peruana. Lima, de fato, tem boa estrutura para receber os turistas.

O acesso ao estádio, no entanto, é bem complicado. Há uma pista com apenas duas vidas na avenida conhecida por engarrafamentos na cidade. A chegada em jogos grandes costuma ser caótica, segundo moradores locais.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Jacobina Arte comemora aniversário de fundação com eventos na Grécia

19 de novembro de 2019, 13:59

Foto: Reprodução/Jacobina Arte

A famosa, histórica e principal cidade da região grega da Maceônica, Thessaloniki (ou Tessalônica), recebeu no início do mês de novembro (8,9 e 10), capoeiristas de diversas partes do mundo para comemorar o 19º aniversário do Grupo de Capoeira Jacobina Arte; agremiação fundada pelo jacobinense Marcos Paulo Almeida Brandão, o mestre Pitbull, que reside atualmente na Grécia.

Construída no séc. XVI, a Torre Branca  foi adotada como símbolo de Thessaloniki

O evento que foi realizado no Centro Cultural de Thessaloniki reuniu alunos, contramestres e mestres de capoeira que atuam na Europa e no Brasil. Foram três dias de festa e muita roda de capoeira para marcar uma importante data para o esporte e cultura Brasileira e Mundial, proporcionado por um perseverante jacobinense que acreditou e conseguiu realizar a façanha de disseminar uma das principais e positivas heranças dos escravos africanos para países do Ocidente e do Oriente, levando sempre o nome da sua cidade natal, a qual é homenageada com o nome do grupo.

 

Mestre Pitbull

“Sinto-me uma pessoa realizada, por fazer o que gosto e por está contribuindo em apresentar este esporte que na verdade é uma arte cultural. Nestes 19 anos de fundação, o Jacobina Arte só tem a agradecer a todos que nos acompanham e que acreditam em nosso trabalho. Obrigado aos amigos, alunos e professores. Vamos comemorar que a festa é nossa; a festa é de quem pratica e apóia a capoeira”, comemora mestre Pitbull, finalizando com a afirmação: “mais do que um esporte, a capoeira é uma forma de expressão cultural que reúne história, tradição e muitos benefícios para saúde”.

A bandeira de Jacobina é presença marcante nos eventos

O contramestre Torneiro foi o responsável pela organização das comemorações deste ano, que contou ainda com as presenças dos seus parceiros, mestre Parafuso (França), mestre Ligeirinho, Formado Urso, os professores Falcão, Malandro, Corpo Fechado e os contramestres Torneiro, Gavião e Montanha (Grécia),contramestre Santo (Turquia), contramestre Abadá (Croácia), graduado Furacão (Áustria). O também jacobinense, contramestre Drácula que atua em Jacobina foi um dos convidados. Já o professor mestre Lourival, primeiro instrutor de Pitbull, foi um dos homenageados.

Encontro dos mestres Lourival e Pitbull

CAPOEIRA – Presente na cultura brasileira desde o tempo dos escravos, a capoeira é mais do que um esporte, é um miste de luta, arte, dança, ritmos e música, em uma roda cheia de gingado ao som do berimbau. Espalhada pelo Brasil, inicialmente a fim de trazer proteção, a capoeira também pode proporcionar benefícios não só para a mente.

 

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Bruno Henrique provoca Vasco: ‘Estamos brigando por título, já eles…’

14 de novembro de 2019, 07:29

Foto: Alexandre Vidal / Flamengo

Bruno Henrique resolveu provocar o Vasco após o empate por 4 a 4, na noite desta quarta-feira, no Maracanã, pelo Campeonato Brasileiro. Autor de dois gols do Flamengo no clássico, o atacante enalteceu a sua equipe e ironizou a campanha do rival, que chegou a brigar pelo rebaixamento, mas hoje está na zona intermediária da classificação, com chances remotas de obter uma vaga na Copa Libertadores de 2020, enquanto o time rubro-negro está perto de garantir a taça.

“Discussão de jogo. Para ganhar da gente tem que ser assim. A equipe está de parabéns pelo desempenho, pela atitude. Mas vou aproveitar para mandar um recado: ‘Nós estamos brigando pelo título, eles não sei pelo que estão brigando'”, falou Bruno Henrique.

Os ânimos estavam à flor da pele no final da partida. Após uma discussão entre Pablo Mari e Ribamar, houve um tumulto generalizado, rapidamente contido pelos treinadores de ambas as equipes. No entanto, o clima acabou ficando quente.

“Temos que ter a cabeça no lugar. Isso é o que eles queriam. Ficaram fazendo gracinha o tempo inteiro. O Henríquez provocou o jogo todo. Nós perdemos a cabeça um pouco. Perdemos o foco do jogo, mas não da batalha. Vamos descansar, porque a gente tem grandes coisas pela frente”, concluiu o atacante.

Bruno Henrique citou o duelo contra o Grêmio, no próximo domingo, em Porto Alegre, jogo que poderia dar o título brasileiro para a equipe rubro-negro se não fosse o tropeço diante de seu arquirrival. No dia 23, o time carioca faz a final da Libertadores frente o River Plate, em Lima, no Peru.

PROVOCAÇÃO – As provocações não aconteceram apenas no final da partida. Bruno Henrique fez gestos provocativos nas suas comemorações de gol. Além do atacante, Rafinha também deu uma alfinetada através de gestos.

No segundo gol do Flamengo, o lateral imitou uma histórica comemoração de Edmundo. Em 1997, o “Animal” saiu rebolando e agitando os braços ao fazer o terceiro gol da vitória por 4 a 1 do Vasco na fase semifinal do Campeonato Brasileiro daquele ano.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Negros cortam o meu cabelo, diz torcedor ao negar ser racista

13 de novembro de 2019, 12:25

Foto: Reprodução

Acusado de injúria racial ao vigilante Fábio Coutinho, em episódio ocorrido após o clássico entre Cruzeiro e Atlético-MG no domingo (10), no Mineirão, o torcedor Nathan Siqueira da Silva, 28, negou ser racista, justificando ser próximo a pessoas negras.

“De forma alguma [acho que ele é inferior a mim por causa da cor da pele], tanto que eu tenho um irmão negro, tenho pessoas que cortam meu cabelo que são negras, tenho vários amigos negros, não foi da minha índole, não tenho nada contra. Pelo contrário, sempre gostei”, disse nesta terça-feira (12).

A declaração ocorreu no mesmo dia em que ele e o irmão mais velho Adrierre Siqueira Silva, 37, prestaram depoimento à Polícia Civil na delegacia da Pampulha, em Belo Horizonte (MG). Os dois irão responder pelo crime de injúria racial, que prevê pena de reclusão de um a três anos e multa.

“Está circulando nas redes sociais e na imprensa que eu teria dirigido a ele a palavra ‘macaco’, eu não falei aquilo de forma alguma. Vocês podem ver e rever no vídeo que a palavra direcionada para ele foi ‘palhaço'”, afirmou ainda Nathan, que esteve acompanhado da advogada Aline Lopes Martins de Paula.

O caso no Mineirão ganhou repercussão a partir de um vídeo publicado pela Rádio 98FM em que um dos dois irmãos atleticanos diz ao segurança, entre diversas ofensas em meio a uma confusão generalizada, “olha a sua cor”. Em resposta, Coutinho questiona: “Você é racista?”.

Ao UOL Esporte, o vigilante relatou ainda ter recebido cusparadas. “Eu vou ser sincero, vou dar um relato aqui. Sou vigilante, sou profissional da área de segurança. Não vou me vitimizar, mas foi uma atitude muito baixa e rasa da parte dele. Se puder encontrar essa pessoa, seria bacana ele servir como lição. Não foi só uma atitude racista, ele cuspiu na minha face. Em vários momentos, ele tocou com os dedos em minha face. Eu pretendo sim, dar continuidade [ao caso].”

Ainda nesta terça, o Atlético comunicou a exclusão de Nathan e Adrierre de seu quadro de sócios-torcedores. Ambos pertenciam ao plano “Galo Na Veia”, mas estavam inadimplentes, segundo disse o clube alvinegro em nota oficial.

“O Clube Atlético Mineiro informa que os dois torcedores identificados pela Polícia Civil, acusados de praticar injúria racial no clássico do último domingo, pertenciam ao programa Galo na Veia, embora inadimplentes. De qualquer forma, ambos foram desligados do programa de sócio-torcedor do Clube”, escreveu o clube.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Os 7 alimentos que são ladrões de energia

Você provavelmente já ouviu falar e leu bastante sobre alimentos e suplementos que aumentam sua disposição e te deixam mais animado para encarar um treino ou até mesmo as tarefas do dia a dia. Mas também existe o outro lado dessa moeda. Não faltam vilões neste mundo na nutrição: os alimentos que são ladrões de energia e podem atrapalhar bastante sua rotina na corrida ou até mesmo se tornar um obstáculo numa prova.

Esses “ladrões” de energia atuam de diferentes maneiras no organismo. Em alguns casos, oferecem tanto açúcar que, num primeiro momento, essa elevada taxa de glicose resulta em mais disposição, mas, logo em seguida, a insulina liberada para normalizar essa glicose faz justamente o caminho contrário. E aí o cansaço chega com tudo.

Também tem aqueles alimentos que dão tanto trabalho para o sistema digestivo que muitos nutrientes são desviados para ajudar nesse processo, fazendo com que eles faltem na produção de energia em outras funções do organismo. Resultado: o corpo logo sente essa queda de disposição.

Para te ajudar a evitar esse cansaço causado pela má alimentação, acionamos três especialistas para fazer uma lista dos maiores ladrões de energia, suas principais armas e como combatê-las. Confira!

Os ladrões de energia 

Carboidratos simples

Alimentos com farinhas brancas vão roubar energia se consumidos em excesso. “Em um pré-treino, por exemplo, são aliados, mas viram vilões se não houver uma atividade física depois”, pondera Mayara Ferrari, nutricionista funcional esportiva. “Isso acontece porque a quantidade de açúcar no sangue fica muito elevada e o pâncreas libera mais insulina para quebrar todos esses carboidratos. Isso pode causar uma grande redução de açúcar no sangue, resultando em fadiga e falta de energia.”

Sal

Aquele sal extra para dar mais gosto à comida pode te deixar mais cansado. Em quantidade exagerada, o sal aumenta a pressão arterial e deixa o organismo mais desidratado porque mais água é necessária para compensar. “Ele prejudica o funcionamento adequado do organismo, que ficará a todo momento buscando esse equilíbrio. Isso dará uma sensação de cansaço e fadiga. Esporadicamente um pouco de sal não tem problema, mas abusar dele diariamente ou usar em grande quantidade é bastante prejudicial”, adverte Mayara.

Alimentos gordurosos e frituras

A gordura em excesso dificulta a digestão e atrapalha a chegada dos nutrientes à corrente sanguínea. “Como possuem uma digestão mais
lenta, eles fazem com que a circulação se concentre na região abdominal por mais tempo. Isso causa uma sensação de letargia e sonolência durante a digestão, que pode passar de três horas. E isso não é bom para quem vai se exercitar, pois precisará de boa circulação nos membros”, alerta a nutricionista Lara Natacci.

Doces

A lógica nesse caso é parecida à dos carboidratos simples: como eles são ricos em açúcar, dão um pico de energia no primeiro momento porque aumentam a quantidade de glicose no sangue, mas se a pessoa não for praticar uma atividade física logo em seguida, essa disposição logo pode virar cansaço. “O organismo vai aumentar a secreção de insulina para normalizar a glicemia, que é a quantidade de glicose no sangue. Por isso, a sensação de aumento de energia deve durar pouco e dar lugar à fadiga”, reforça Lara Natacci.

Café

O café, um dos estimulantes mais populares, também pode roubar sua energia. Ele realmente gera mais disposição num primeiro momento, mas sua ação no sistema nervoso tem como um dos efeitos a fadiga. “A cafeína, no cérebro, obstrui os efeitos da adenosina, substância que ajuda na transferência de energia e na promoção do sono, dando o efeito estimulante”, explica André Lemos, médico nutrólogo. “Por outro lado, também inibe a degradação da acetilcolina, que aumenta o estímulo muscular. E a consequência disso são o cansaço e a debilidade”, completa.

Corantes e conservantes

Presentes em muitos produtos industrializados, como nuggets, embutidos (salame, presunto, mortadela, peito de peru) e salsichas, eles
modificam o funcionamento adequado do organismo, que tenta repor o que os corantes “tiram” no processo de digestão. “Eles causam uma cascata de processos inflamatórios e oxidantes. Para reverter essa situação, disponibilizamos muitas vitaminas e minerais, fazendo com que o restante do organismo não funcione adequadamente”, destaca Mayara.

Refrigerante

O refrigerante é um dos “ladrões de energia” mais temidos. Alguns maratonistas e ultramaratonistas o utilizam durante provas quando já estão acostumados a seus efeitos, inclusive psicológicos, mas, para o organismo, eles não têm nada de “bonzinhos”. Isso porque o refrigerante, em geral, tem tudo em excesso: açúcar, sódio e corantes. Assim, desencadeia todos os processos já descritos de uma só vez. Além disso, estudos apontam que o refrigerante ainda pode atrapalhar o padrão de sono, prejudicando o descanso e interferindo na disposição.

VÍDEOS