Capim Grosso: População não respeita o isolamento e o distanciamento social contra o coronavírus

17 de julho de 2020, 12:04

Mesmo com restrições mais rígidas para conter a disseminação do coronavírus população não respeita o isolamento e o distanciamento social (Foto: Notícia Limpa)

Na contra mão de todas as orientações e determinações das autoridades e profissionais das áreas sanitárias e de saúde, boa parte da população de Capim Grosso não tem levado a sério a pandemia do novo coronavírus. O desrespeito com as medidas de prevenção adotadas pela Prefeitura e pelo Governo do Estado chegam a ser gritantes.

O município contabilizava até o fechamento desta matéria, no início da manhã desta sexta-feira (17), 289 casos confirmados da Covid-19 e 4 óbitos em consequência da doença, números considerados altíssimos, sendo maior inclusive que a quantidade de infectados do vizinho Jacobina, que possui o dobro da população e registrava 267 casos no mesmo dia.

Mas os números não tem assustado todos os moradores da cidade. Nossa reportagem esteve em Capim no final da tarde de quinta-feira (16), e pode perceber in loco os relatos da falta de cuidados para evitar a disseminação do vírus. Podemos constatar a grande movimentação de pessoas nas ruas e o pior, em cada dez pessoas apenas uma fazia o uso de máscara de proteção facial. Flagrados muita gente fazendo caminhada às margens da BR 324 em grupos, sem obedecer o distanciamento social, como se a doença não existisse.

Foi possível constatar ainda que nas principais entradas e saídas da cidade, pela BR 324, não existem barreiras sanitárias, o acesso é totalmente livre.

Conforme decreto estadual de 13 de julho de 2020, assinado pelo governo da Bahia e oficializado pelo Município, foi determinado o toque de recolher durante a noite e madrugada e o fechamento do comércio local, exceto os serviços considerados essenciais e em especial as atividades relacionadas ao enfrentamento da pandemia. A medida é válida até este domingo (19).

Uso de máscara- A principal forma de contaminação pelo coronavírus é de pessoa para pessoa, através de gotículas expelidas quando uma pessoa infectada espirra, tosse ou fala – mesmo que essa pessoa não esteja apresentando sintomas. Daí a importância do uso generalizado das máscaras.

De acordo com estudo realizado pelos Centros de Controle e Prevenção de Doença dos Estados Unidos (CDC, na sigla em inglês), o uso de máscaras é capaz de conferir mais proteção do que apenas o distanciamento social ou a higienização das mãos. O uso de máscaras foi mais eficaz do que o aumento da lavagem das mãos. Cerca de 62% dos que relataram lavar as mãos regularmente foram infectados, em comparação com 65% daqueles que não lavam as mãos regularmente (queda de 3%).

Isso não quer dizer que se deve apenas usar máscara e esquecer das outras medidas e sim que se deve adotar todas elas. “Aqueles que relataram tomar medidas preventivas tiveram uma taxa de infecção menor do que aqueles que não relataram tomar essas medidas”, concluiu o estudo.

Como aumentar a imunidade rapidamente 

Para aumentar a imunidade rapidamente deixando o corpo mais forte no combate aos agentes agressores deve-se:

Adotar bons hábitos de saúde, realizando atividade física, dormindo adequadamente e evitando situações de estresse;

Evitar o cigarro ou estar exposto ao cigarro;

Expor-se ao sol diariamente, de preferência até as 10 horas da manhã e depois das 16 horas, sem protetor solar, para aumentar a produção de vitamina D no organismo;

Consumir alimentos saudáveis e manter uma dieta equilibrada, que inclua o consumo de frutas, verduras e legumes, de preferência orgânicos ou produzidos em casa sem agrotóxicos;

Evitar ao máximo fast food e alimentos industrializados e comidas congeladas como pizzas e lasanhas, por exemplo, pois contém substâncias que promovem a inflamação do organismo;

Evitar tomar remédios sem orientação médica;

Beber cerca de 2 litros de água mineral ou filtrada todos os dias. 

Além disso, caso tenha alguma doença causada por vírus, como gripe, por exemplo, é importante evitar frequentar lugares públicos fechados, como shopping, teatros e cinemas, além de ser importante lavar as mãos frequentemente com água e sabão, assim como evitar tocar os olhos, nariz e a boca com as mãos sujas. Dessa forma, é possível reduzir o risco de adquirir a doença e de haver o desenvolvimento de complicações, principalmente no caso da pessoa possuir o sistema imunológico mais fraco.

VÍDEOS