Cansaço pode ser indício de insuficiência cardíaca

15 de novembro de 2018, 12:49

(Foto: Reprodução)

Especialista comenta os principais sintomas e novos tratamentos

Sentir cansaço excessivo pode indicar muito mais do que falta de tempo para descanso: tendo-o como principal sintoma, a insuficiência cardíaca é uma doença em que o coração não consegue bombear o sangue necessário para o corpo inteiro, podendo prejudicar o funcionamento do organismo. Segundo levantamento da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), são mais de 2 milhões de casos de insuficiência cardíaca por ano no Brasil.

Segundo o cirurgião cardíaco e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular, Dr. Élcio Pires Júnior, a insuficiência cardíaca é uma doença silenciosa. “A maioria dos pacientes não sentem sintomas nos primeiros estágios da doença, pois acreditam que a fadiga e a falta de ar aconteçam devido ao envelhecimento”, comenta.

Cansaço causado pela insuficiência cardíaca

A insuficiência cardíaca é uma doença lenta e gradativa: a fraqueza e o cansaço vão ficando cada vez mais recorrentes, indo da fadiga ao realizar esforços até que o paciente com quadro mais avançado se canse com atividades mais comuns, como tomar banho e escovar os dentes. “Isso acontece devido ao baixo fluxo sanguíneo. É por isso que pessoas com insuficiência não conseguem ficar tanto tempo deitadas, pois há um tipo de congestionamento no sangue que vai para o pulmão e o que volta para o coração, causando a falta de ar”, explica o especialista.

Insuficiência cardíaca acontece apenas em idosos?

Embora os idosos sejam o grupo etário mais atingido pela doença, a insuficiência cardíaca pode acontecer em qualquer idade, dependendo principalmente do estilo de vida que se tem. “Quando envelhecemos, sofremos alterações no coração que fazem com que os batimentos cardíacos não sejam tão eficazes. Porém, a insuficiência pode também aparecer repentinamente, sem ter a idade como um dos fatores”, conta Élcio.

Outros sintomas e novos tratamentos

A insuficiência cardíaca pode ocorrer devido há vários fatores: tabagismo, hipertensão, obesidade, diabetes, uso de drogas, alcoolismo doenças pulmonares. Resultando em outros sintomas como tosse, inchaço nos pés e abdome, ganho de peso, perda de apetite, dificuldade para dormir, náuseas e vômitos.

Após mais de uma década sem novos tratamentos para a doença, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) recentemente aprovou um medicamento que duplica o efeito do enalapril, medicamento que controla a hipertensão e a insuficiência cardíaca. “O novo medicamento é um composto desacubitril e valsartana que ajuda o funcionamento do coração e causa o relaxamento dos vasos, melhorando o fluxo sanguíneo”, finaliza o cirurgião.

Como aumentar a imunidade rapidamente 

Para aumentar a imunidade rapidamente deixando o corpo mais forte no combate aos agentes agressores deve-se:

Adotar bons hábitos de saúde, realizando atividade física, dormindo adequadamente e evitando situações de estresse;

Evitar o cigarro ou estar exposto ao cigarro;

Expor-se ao sol diariamente, de preferência até as 10 horas da manhã e depois das 16 horas, sem protetor solar, para aumentar a produção de vitamina D no organismo;

Consumir alimentos saudáveis e manter uma dieta equilibrada, que inclua o consumo de frutas, verduras e legumes, de preferência orgânicos ou produzidos em casa sem agrotóxicos;

Evitar ao máximo fast food e alimentos industrializados e comidas congeladas como pizzas e lasanhas, por exemplo, pois contém substâncias que promovem a inflamação do organismo;

Evitar tomar remédios sem orientação médica;

Beber cerca de 2 litros de água mineral ou filtrada todos os dias. 

Além disso, caso tenha alguma doença causada por vírus, como gripe, por exemplo, é importante evitar frequentar lugares públicos fechados, como shopping, teatros e cinemas, além de ser importante lavar as mãos frequentemente com água e sabão, assim como evitar tocar os olhos, nariz e a boca com as mãos sujas. Dessa forma, é possível reduzir o risco de adquirir a doença e de haver o desenvolvimento de complicações, principalmente no caso da pessoa possuir o sistema imunológico mais fraco.

VÍDEOS