Brasileira de 17 anos é aprovada em curso de astrofísica da NASA

30 de agosto de 2020, 13:30

 A estudante Isadora Stefanhak Costa Arantes, de Porto Alegre (Foto: Reprodução)

 A estudante Isadora Stefanhak Costa Arantes, de Porto Alegre, tem apenas 17 anos mas já coleciona conquistas impressionantes. A jovem já ganhou medalhas, prêmios e homenagens por seu mérito nos estudos. Isadora sonha em ser astrofísica e recebeu a oportunidade de participar do programa de treinamento para astronautas promovido pela NASA, nos Estados Unidos.

Isadora conta que se inscreveu no programa pelo site da NASA e teve que preencher diversos requisitos, entre eles, ao menos duas cartas de recomendação, “eu coloquei dez”, comentou.

 Os encontros da turma aprovada iriam acontecer no estado do Alabama, em julho deste ano. Por causa da pandemia do novo coronavírus, o programa foi adiado para 2021.

Aos 13 anos, Isadora já tinha certeza do que queria fazer. “Pra mim, não tem coisa mais sensacional do que você juntar as teorias da física com astronomia, que é o estudo do universo”.

O Advanced Space Academy é um curso para jovens de até 18 anos, e tem no currículo atividades como engenharia espacial e montagem de satélites.

Interesses em comum

Na escola em que estuda, Isadora compartilha do interesse em astronomia com os amigos, e juntos montaram até um grupo de foguetes. Os alunos começaram usando garrafas pet como material para as montagens, com o tempo, o processo de aprimorou.

No grupo foram divididos setores para a pesquisa, montagem e divulgação dos protótipos montados. Os amigos se dividiram em engenharia, logística e design, química e tecnologia.

A família apoia o sonho da jovem e até deu de presente um telescópio para que ela pudesse explorar ainda mais o universo e suas curiosidades.

“Eu tenho planejamento de vida que quero estudar astrofísica e biologia. Eu quero focar na astrobiologia também, ela estuda a origem da vida no universo e se existe vida além da gente. Eu acho isso fantástico”.

Tribuna de Jundiaí 

Principais sintomas físicos e mentais da abstinência de nicotina

A síndrome de abstinência de nicotina provoca inúmeros sintomas nos ex-fumantes. Contudo, explica um artigo publicado no portal Melhor Com Saúde, esses efeitos colaterais variam em intensidade dependendo da pessoa. 

O fato da nicotina ser uma droga muito viciante faz com que o hormônio conhecido como dopamina seja liberado no cérebro – este hormônio é responsável por aumentar a sensação de prazer e bem-estar. E como tal, o organismo reage negativa e violentamente à ausência da droga.

Ainda assim, a síndrome de abstinência de nicotina não representa qualquer risco para a saúde. Estima-se que os sintomas associados à condição afetam até 85% dos ex-fumantes. 

Os sintomas desta síndrome variam, mas, sem dúvida alguma, o mais comum é a vontade de fumar que pode surgir na presença de múltiplos estímulos, como por exemplo ver outra pessoa fumar, ou inclusive sem uma causa aparente.

Os principais sintomas da síndrome de abstinência da nicotina são os seguintes, de acordo com o portal Melhor Com Saúde:

Sintomas físicos

Aumento do apetite
Tosse
Boca seca
Dor de cabeça
Tontura
Fadiga
Coriza (inflamação da mucosa das fossas nasais; rinite, defluxo)
Dor de garganta, na língua ou gengivas
Sensação de aperto no peito
Ganho de peso
Frequência cardíaca mais lenta ou bradicardia
Obstipação
Hipotensão

Sintomas mentais

Ansiedade, inquietação e irritabilidade
Dificuldade em se concentrar
Insônia e dificuldade para dormir bem
Raiva e frustração
Depressão
Desânimo
Mau humor

Os sintomas da síndrome de abstinência da nicotina normalmente duram de 4 a 12 semanas e surgem nas primeiras 12 a 24 horas após parar de fumar. 

Os especialistas explicam que a fase mais critica são as primeiras duas a três semanas de cessação tabágica. Sendo que os sintomas começam gradualmente a desaparecer e, com o tempo o indivíduo aprende a controlar o desejo de fumar. 

VÍDEOS