Brasil revende frango vetado na Europa por conter salmonela

03 de julho de 2019, 14:32

(Foto: Reprodução)

O Brasil revende para seu mercado interno frangos contaminados por salmonela que foram vetados no Reino Unido por não atenderem as regras sanitárias da União Europeia.

A informação é de reportagem feita pela Repórter Brasil, o jornal britânico The Guardian e o Bureau of Investigative Journalism.

De acordo com a publicação, mais de 1 milhão de aves congeladas vindas do Brasil, cerca de 1,4 toneladas, foram barradas no Reino Unido porque as regras locais são mais rígidas com a contaminação por salmonela.
Enquanto no Brasil é permitido que até 20% da carne de frango tenha salmonela, na União Europeia este número é de 3,3%.

Existem mais de 2 mil tipos de salmonela, mas nem todas as variações causam infecções em humanos. Todavia, existem duas variações da salmonela que podem matar. 

Após o frango brasileiro ser vetado na Europa, ele retorna para o Brasil. A carne com potencial de fazer mal à saúde humana é cozida e processada em subprodutos como nuggets e salsichas.

A diretora do Departamento de Inspeção dos Produtos de Origem Animal (DIPOA), do Ministério da Agricultura, Ana Lucia Viana, afirmou à públicação conjunta de brasileiros e britânicos que o cozimento garante a segurança do alimento.

Já os outros frangos, que sob as normas nacionais não têm potencial de prejudicar a saúde humana, são colocados à venda. 

Desde a Operação Carne Fraca, as exportações de frango à Europa estão caindo. Em 2018, o então ministro da Agricultura, Blairo Maggi, chegou a afirmar que a União Europeia praticava uma “guerra comercial” contra os produtos brasileiros.

Como aumentar a imunidade rapidamente 

Para aumentar a imunidade rapidamente deixando o corpo mais forte no combate aos agentes agressores deve-se:

Adotar bons hábitos de saúde, realizando atividade física, dormindo adequadamente e evitando situações de estresse;

Evitar o cigarro ou estar exposto ao cigarro;

Expor-se ao sol diariamente, de preferência até as 10 horas da manhã e depois das 16 horas, sem protetor solar, para aumentar a produção de vitamina D no organismo;

Consumir alimentos saudáveis e manter uma dieta equilibrada, que inclua o consumo de frutas, verduras e legumes, de preferência orgânicos ou produzidos em casa sem agrotóxicos;

Evitar ao máximo fast food e alimentos industrializados e comidas congeladas como pizzas e lasanhas, por exemplo, pois contém substâncias que promovem a inflamação do organismo;

Evitar tomar remédios sem orientação médica;

Beber cerca de 2 litros de água mineral ou filtrada todos os dias. 

Além disso, caso tenha alguma doença causada por vírus, como gripe, por exemplo, é importante evitar frequentar lugares públicos fechados, como shopping, teatros e cinemas, além de ser importante lavar as mãos frequentemente com água e sabão, assim como evitar tocar os olhos, nariz e a boca com as mãos sujas. Dessa forma, é possível reduzir o risco de adquirir a doença e de haver o desenvolvimento de complicações, principalmente no caso da pessoa possuir o sistema imunológico mais fraco.

VÍDEOS