Bill Gates rebate teorias que o acusam de causar a pandemia

24 de julho de 2020, 09:26

Um vídeo nas redes sociais acusa Bill Gates de querer "eliminar 15% da população" através de vacinação (Foto: Reprodução)

Omilionário norte-americano Bill Gates rejeitou as teorias de conspiração difundidas nas redes sociais que o acusam de estar por detrás da pandemia de covid-19 ou de tentar controlar o mundo através de vacinas.

“É uma má combinação de pandemia, redes sociais e pessoas à procura de explicações simples”, disse Gates ao canal de televisão CNN.

Desde o início da pandemia, as equipes de “verificação de fatos” da agência de notícias France-Presse (AFP) demonstraram a falsidade de dezenas de rumores sobre Bill Gates, em várias línguas e redes sociais, do Facebook ao Instagram.

Um vídeo que acusa Bill Gates de querer “eliminar 15% da população” através de vacinação já foi visto milhões de vezes no YouTube, e falsos artigos de imprensa (conhecidos como ‘fake news’) e fotografias manipuladas tornaram-se virais nas redes sociais.

Em maio, durante uma conversa virtual com jornalistas sobre a luta contra a desinformação em tempos da covid-19, a porta-voz do Parlamento Europeu, Delphine Colard, contou que uma rádio belga difundiu teorias segundo as quais a pandemia foi criada por Bill Gates “para implantar ‘microships’ e controlar a população”.

No início de abril, várias publicações que se tornaram virais na África Ocidental alegavam que sete crianças tinham morrido no Senegal após terem recebido a “vacina Bill Gates”, um boato com origem numa piada de um comerciante de cosméticos nos arredores de Dakar, segundo a AFP.

Noutro vídeo compartilhado, dezenas de milhares de vezes na Costa do Marfim, também analisado pela agência noticiosa, uma mulher que se apresentava como enfermeira afirmou que os centros de rastreio seriam utilizados para vacinar a população por via nasal, sem o seu conhecimento – isto apesar de não existir uma vacina contra a doença provocada pelo novo coronavírus.

“A nossa fundação deu mais dinheiro do que qualquer outro grupo para comprar vacinas que salvam vidas”, disse Bill Gates, afirmando esperar que estas teorias da conspiração não tornem as pessoas resistentes à vacina, quando esta for desenvolvida.

O filantropo atribuiu 250 milhões de dólares (mais de 1,3 bilhões de reais) ao combate da pandemia e a sua fundação investiu milhões de dólares nos últimos 20 anos no desenvolvimento de sistemas de saúde nos países mais pobres.

Bill Gates, que apelou à distribuição de medicamentos e vacinas a quem deles necessita, é acusado pelos autores das teorias de conspiração de explorar a crise para “controlar as pessoas”, mas também de ter um plano de envenenamento em massa em África.

Noutras teorias conspiratórias alega-se que Gates foi questionado pelo FBI por “terrorismo biológico”.

“Acredito profundamente que a verdade será reconhecida” e estas teorias da conspiração desmontadas, disse o multimilionário.

Bill Gates é um dos alvos favoritos dos autores de teorias da conspiração, que propõem as mais loucas explicações para a pandemia.

Para além de Gates, a pandemia tem alimentado outras teorias de conspiração, rumores e ‘fake news’.

Principais sintomas físicos e mentais da abstinência de nicotina

A síndrome de abstinência de nicotina provoca inúmeros sintomas nos ex-fumantes. Contudo, explica um artigo publicado no portal Melhor Com Saúde, esses efeitos colaterais variam em intensidade dependendo da pessoa. 

O fato da nicotina ser uma droga muito viciante faz com que o hormônio conhecido como dopamina seja liberado no cérebro – este hormônio é responsável por aumentar a sensação de prazer e bem-estar. E como tal, o organismo reage negativa e violentamente à ausência da droga.

Ainda assim, a síndrome de abstinência de nicotina não representa qualquer risco para a saúde. Estima-se que os sintomas associados à condição afetam até 85% dos ex-fumantes. 

Os sintomas desta síndrome variam, mas, sem dúvida alguma, o mais comum é a vontade de fumar que pode surgir na presença de múltiplos estímulos, como por exemplo ver outra pessoa fumar, ou inclusive sem uma causa aparente.

Os principais sintomas da síndrome de abstinência da nicotina são os seguintes, de acordo com o portal Melhor Com Saúde:

Sintomas físicos

Aumento do apetite
Tosse
Boca seca
Dor de cabeça
Tontura
Fadiga
Coriza (inflamação da mucosa das fossas nasais; rinite, defluxo)
Dor de garganta, na língua ou gengivas
Sensação de aperto no peito
Ganho de peso
Frequência cardíaca mais lenta ou bradicardia
Obstipação
Hipotensão

Sintomas mentais

Ansiedade, inquietação e irritabilidade
Dificuldade em se concentrar
Insônia e dificuldade para dormir bem
Raiva e frustração
Depressão
Desânimo
Mau humor

Os sintomas da síndrome de abstinência da nicotina normalmente duram de 4 a 12 semanas e surgem nas primeiras 12 a 24 horas após parar de fumar. 

Os especialistas explicam que a fase mais critica são as primeiras duas a três semanas de cessação tabágica. Sendo que os sintomas começam gradualmente a desaparecer e, com o tempo o indivíduo aprende a controlar o desejo de fumar. 

VÍDEOS