Bahia: Sem nenhum caso confirmado, Nova Canaã está focado na luta contra o coronavírus (Fotos)

22 de maio de 2020, 14:50

A cidade de Nova Canaã pertence ao Território do Médio Sudoeste (Foto: Zuca Assunção)

*Por Zuca Assunção – 

Sem o registro de nenhum caso do Covid-19, o Secretário de Saúde do município de Nova Canaã, localizado na região sudoeste do Estado da Bahia, continua focado para impedir que o coronavírus chegue na cidade e na zona rural. “Conseguimos aprovar um amplo Plano de Contingência com ações voltadas para o combate ao Covid-19 no Município”, informa o secretário Feliciano Nascimento. Entre as várias ações da Secretaria de Saúde, destacam-se as “barreiras sanitárias”, instaladas nas extremidades da avenida Juracy Magalhães (BA-262), por onde obrigatoriamente passam os veículos que cruzam toda a extensão da cidade rumo a Itabuna, Ilhéus (em direção à região sul), ou rumo a Vitória da Conquista, no sudoeste baiano.

Equipe da Secretaria de Saúde em atividade na Barreira  Sanitária

Nem a chuva impede o trabalho  da equipe 

Uma equipe com cerca de 50 profissionais se revezam em três turnos de seis horas, das sete da manhã a uma hora da madrugada. Artur Cerqueira, um dos coordenadores da equipe, explica que basicamente eles monitoram todas as pessoas que entram na cidade, inclusive os moradores, inicialmente aferindo a temperatura, com a utilização de um termômetro infravermelho. “Com relação às pessoas de fora, perguntamos pelo destino, e, se forem ficar na cidade, preenchemos um questionário com os seus dados e os dados dos parentes. A ficha é repassada para a equipe do “Disque Covid”, que monitora essas pessoas durante sete dias”, esclarece.

Comércio da cidade está em regime de quarentena 

O maior problema que a equipe tem enfrentado, segundo Cerqueira, é com relação aos ônibus clandestinos que chegam com pessoas provenientes das regiões afetadas pelo Covid-19, sobretudo de São Paulo. Como não há uma fiscalização mais rígida das polícias rodoviárias para impedir a circulação desses ônibus, quase sempre o problema é transferido para os profissionais das barreiras sanitárias. Questionado sobre um ônibus proveniente de São Paulo, que parou na barreira, ontem, dia 21, deixando sete pessoas em Nova Canaã, o secretário de Saúde justificou que infelizmente não podia fazer nada, já que as pessoas têm o direito legal de ir e vir. “De fato o ônibus estava com várias pessoas, a maioria indo para Iguaí e Ibicuí. A equipe colheu os dados de todos os que ficaram aqui e encaminhou para o pessoal do Disque-Covid, que vai monitorá-los durante um tempo”, esclarece.

A maioria da população tem utilizado uso da máscara como proteção cobtra o vírus

… Apesar dos que ainda insistem em não se proteger 

Feliciano Nascimento explica que além das duas barreiras sanitárias, a Prefeitura implementou diversas ações emergenciais, como a confecção e distribuição de panfletos informativos e educativos; a criação de um canal para as pessoas informarem à Comissão de Emergência (COE) sobre pessoas que chegam de cidades onde já existem casos confirmados; a ação multiprofissional, com intensificação da fiscalização de estabelecimentos públicos e privados para fazer cumprir o Decreto Municipal 20/2020, que declara situação de emergência temporária no Município. “Em busca do cumprimento integral do Decreto, criamos a ação intersetorial e contamos sempre com a ajuda da Polícia Militar, que tem nos apoiado de forma irrestrita”, informa. Outra preocupação da administração municipal é com a organização das filas dos bancos e das casas lotéricas, “no sentido de evitar que as pessoas fiquem sem máscaras e muito próximas umas das outras”, diz.

O prefeito e médico Marival Fraga, sintonizado com a equipe de saúde na luta contra a Covid-19

Secretário de Saúde, Feliciano Nascimento

Enquanto isso, a vida na sede do Município segue de forma aparentemente normal. Observa-se que a maioria das pessoas já se adaptaram às máscaras, principalmente no centro da cidade, onde se concentra a maior parte das casas comerciais. Nas farmácias e nos mercados dificilmente se verifica um cliente sem máscara. “Aqui a gente só atende no interior da farmácia os clientes que estão com máscaras e ainda recomendamos que mantenham uma certa distância de um para o outro enquanto aguardam o atendimento. Aqueles que chegam sem máscaras, recomendamos a utilização, e muitos compram a máscara aqui mesmo. Do contrário, aguardam o atendimento do lado de fora. Fazemos isso pelo bem dos próprios clientes, que devem se conscientizar que vivemos em um momento difícil, daí a necessidade de medidas extremas”, esclarece Ezequias Assunção, sócio da Farmácia Bom Preço, juntamente com Cássio Freire.

Equipe da farmácia Bom Preço trabalhando e conscientizando

Mercados funcionam atentos às restrições

Carlinhos, do Escritório Bar, está atendendo apwnas através do delivery.

*Jornalista 

Os 7 alimentos que são ladrões de energia

Você provavelmente já ouviu falar e leu bastante sobre alimentos e suplementos que aumentam sua disposição e te deixam mais animado para encarar um treino ou até mesmo as tarefas do dia a dia. Mas também existe o outro lado dessa moeda. Não faltam vilões neste mundo na nutrição: os alimentos que são ladrões de energia e podem atrapalhar bastante sua rotina na corrida ou até mesmo se tornar um obstáculo numa prova.

Esses “ladrões” de energia atuam de diferentes maneiras no organismo. Em alguns casos, oferecem tanto açúcar que, num primeiro momento, essa elevada taxa de glicose resulta em mais disposição, mas, logo em seguida, a insulina liberada para normalizar essa glicose faz justamente o caminho contrário. E aí o cansaço chega com tudo.

Também tem aqueles alimentos que dão tanto trabalho para o sistema digestivo que muitos nutrientes são desviados para ajudar nesse processo, fazendo com que eles faltem na produção de energia em outras funções do organismo. Resultado: o corpo logo sente essa queda de disposição.

Para te ajudar a evitar esse cansaço causado pela má alimentação, acionamos três especialistas para fazer uma lista dos maiores ladrões de energia, suas principais armas e como combatê-las. Confira!

Os ladrões de energia 

Carboidratos simples

Alimentos com farinhas brancas vão roubar energia se consumidos em excesso. “Em um pré-treino, por exemplo, são aliados, mas viram vilões se não houver uma atividade física depois”, pondera Mayara Ferrari, nutricionista funcional esportiva. “Isso acontece porque a quantidade de açúcar no sangue fica muito elevada e o pâncreas libera mais insulina para quebrar todos esses carboidratos. Isso pode causar uma grande redução de açúcar no sangue, resultando em fadiga e falta de energia.”

Sal

Aquele sal extra para dar mais gosto à comida pode te deixar mais cansado. Em quantidade exagerada, o sal aumenta a pressão arterial e deixa o organismo mais desidratado porque mais água é necessária para compensar. “Ele prejudica o funcionamento adequado do organismo, que ficará a todo momento buscando esse equilíbrio. Isso dará uma sensação de cansaço e fadiga. Esporadicamente um pouco de sal não tem problema, mas abusar dele diariamente ou usar em grande quantidade é bastante prejudicial”, adverte Mayara.

Alimentos gordurosos e frituras

A gordura em excesso dificulta a digestão e atrapalha a chegada dos nutrientes à corrente sanguínea. “Como possuem uma digestão mais
lenta, eles fazem com que a circulação se concentre na região abdominal por mais tempo. Isso causa uma sensação de letargia e sonolência durante a digestão, que pode passar de três horas. E isso não é bom para quem vai se exercitar, pois precisará de boa circulação nos membros”, alerta a nutricionista Lara Natacci.

Doces

A lógica nesse caso é parecida à dos carboidratos simples: como eles são ricos em açúcar, dão um pico de energia no primeiro momento porque aumentam a quantidade de glicose no sangue, mas se a pessoa não for praticar uma atividade física logo em seguida, essa disposição logo pode virar cansaço. “O organismo vai aumentar a secreção de insulina para normalizar a glicemia, que é a quantidade de glicose no sangue. Por isso, a sensação de aumento de energia deve durar pouco e dar lugar à fadiga”, reforça Lara Natacci.

Café

O café, um dos estimulantes mais populares, também pode roubar sua energia. Ele realmente gera mais disposição num primeiro momento, mas sua ação no sistema nervoso tem como um dos efeitos a fadiga. “A cafeína, no cérebro, obstrui os efeitos da adenosina, substância que ajuda na transferência de energia e na promoção do sono, dando o efeito estimulante”, explica André Lemos, médico nutrólogo. “Por outro lado, também inibe a degradação da acetilcolina, que aumenta o estímulo muscular. E a consequência disso são o cansaço e a debilidade”, completa.

Corantes e conservantes

Presentes em muitos produtos industrializados, como nuggets, embutidos (salame, presunto, mortadela, peito de peru) e salsichas, eles
modificam o funcionamento adequado do organismo, que tenta repor o que os corantes “tiram” no processo de digestão. “Eles causam uma cascata de processos inflamatórios e oxidantes. Para reverter essa situação, disponibilizamos muitas vitaminas e minerais, fazendo com que o restante do organismo não funcione adequadamente”, destaca Mayara.

Refrigerante

O refrigerante é um dos “ladrões de energia” mais temidos. Alguns maratonistas e ultramaratonistas o utilizam durante provas quando já estão acostumados a seus efeitos, inclusive psicológicos, mas, para o organismo, eles não têm nada de “bonzinhos”. Isso porque o refrigerante, em geral, tem tudo em excesso: açúcar, sódio e corantes. Assim, desencadeia todos os processos já descritos de uma só vez. Além disso, estudos apontam que o refrigerante ainda pode atrapalhar o padrão de sono, prejudicando o descanso e interferindo na disposição.

VÍDEOS