Avaí pede áudio do VAR e quer anular partida contra o CSA

08 de outubro de 2019, 07:44

Avaí pede áudio do VAR e quer anular partida contra o CSA (Foto: Reprodução)

Por meio da FCF (Federação Catarinense de Futebol) o Avaí fez à CBF pedido para ter acesso aos áudios das conversas entre os árbitros de campo e o VAR na partida contra o CSA, realizada neste domingo (6).

Dirigentes do clube disseram à Folha de S.Paulo que, assim que tiverem os diálogos, vão solicitar ao STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) a anulação do jogo, vencido pelos alagoanos por 3 a 1.

A queixa é a marcação de pênalti de Léo sobre o atacante Ricardo Bueno durante o segundo tempo, quando o placar era 1 a 1. O árbitro Anderson Daronco marcou o empurrão do zagueiro após consultar o árbitro de vídeo.

O procurador jurídico do Avaí, Sandro Barreto, enviou e-mail para o presidente da FCF, Rubens Angelotti, pedindo que ele intermedie o pedido da obtenção dos diálogos entre Daronco e o árbitro de vídeo.

“Este procedimento será de extrema importância para o pedido de impugnação da partida”, escreveu Barreto, em mensagem em que o mandatário do Avaí, Francisco Battistotti, também está copiado.

A reclamação da equipe catarinense é quanto à inconsistência da arbitragem, mesmo com o uso do VAR. O que é falta em alguns lances, em outros não é marcada infração. “(…) no vídeo da partida entre Palmeiras e Atlético-MG houve um caso bem mais claro de marcação de pênalti, para não dizer absurdo, e nem houve consulta do VAR”, completa o texto.

Por causa do árbitro de vídeo, a Federação Catarinense divulgou nota de repúdio nesta segunda (7). Outro time do estado na Série A, a Chapecoense, reclama de gol marcado pelo Flamengo que estaria em impedimento.

“O futebol catarinense sofreu duas fortes agressões no último domingo quando decisões equivocadas na análise da tecnologia aplicada na arbitragem (VAR), prejudicaram de forma grosseira seus dois representantes na Série A do Campeonato Brasileiro, Associação Chapecoense de Futebol e Avaí Futebol Clube”, afirma a FCF.

Consultada pela Folha de S.Paulo, a assessoria de imprensa da CBF disse desconhecer qualquer intenção do Avaí em pedir a anulação da partida, mas que os diálogos dos árbitros podem ser ouvidos na sede da entidade, em companhia de Leonardo Gaciba, presidente da comissão de arbitragem.

Neste ano, o STJD julgou quatro pedidos de anulação de jogos na Série A do Brasileiro. Todos foram julgados improcedentes. Também houve um para a Série B e outro para a Série C, que também foram descartados. 

 

DIVULGUE A NOTÍCIA

Justiça multa Facebook em R$ 6,6 mi por compartilhar dados de usuários

OMinistério da Justiça e da Segurança Pública (MJSP) decidiu multar o Facebook em R$ 6,6 milhões por compartilhamento indevido de dados de usuários cadastrados na rede social. A decisão foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) nesta segunda-feira, 30.

A multa, aplicada pelo Departamento de proteção e Defesa do Consumidor (DPDC), órgão do MJSP, acontece após investigação que identificou “prática abusiva” por parte da empresa de tecnologia, que teria deixado vulneráveis dados de 443 mil usuários.

Segundo nota publicada no site da pasta, “o caso começou a ser investigado após notícia veiculada pela mídia, em 4 de abril de 2018, informando que os usuários do Facebook, no País, poderiam ter sofrido com o uso indevido de dados pela consultoria de marketing político Cambridge Analytica”, que ganhou notoriedade global por ter trabalhado na campanha presidencial de Donald Trump, nos Estados Unidos, e também para a campanha do Brexit, como é conhecido o processo de saída do Reino Unido da União Europeia.

Pelo Twitter, o ministro da Justiça, Sérgio Moro, destacou a decisão do ministério e afirmou que “as redes revolucionaram a forma pela qual nos comunicamos e expressamos, mas há questões sobre privacidade a serem consideradas”. O Facebook tem dez dias para recorrer da decisão.

VÍDEOS