Apendicite: Os sinais de alarme que jamais pode ignorar

23 de janeiro de 2020, 16:38

Aprenda a identificar os sintomas (Foto: Reprodução)

A apendicite é uma inflamação do apêndice. O apêndice é, por sua vez, uma pequena bolsa situada na primeira parte do intestino grosso. A inflamação do apêndice é causada pela sua obstrução e pode advir de uma infecção, doença inflamatória intestinal, parasitas, tuberculose, entre outros fatores.

De acordo com a Mayo Cinic, a apendicite surge com mais frequência entre os 10 e os 30 anos. 

A apendicite é uma emergência médica?

A CUF Portugal alerta que sim. A condição requer a realização imediata de uma cirurgia para retirar o apêndice – apendicectomia. Se não for tratada, a inflamação do apêndice poderá conduzir a complicações graves como perfuração ou infecção generalizada (septicemia).

– Dor súbita que começa em torno do umbigo e, muitas vezes, desloca-se para o lado direito da zona inferior do abdômen;

– Náuseas e vômitos;

– Dor que piora ao tossir ou caminhar;

– Perda de apetite;

– Febre baixa que pode ir subindo à medida que a doença progride; 

– Obstipação ou diarreia;  

– Se estiver grávida, a dor associada à apendicite pode parecer proveniente da parte superior do abdômen, pois o apêndice fica mais elevado durante a gravidez.

No caso de dor aguda ou qualquer desses sintomas, procure o hospital mais próximo para receber o diagnóstico e atendimento necessário o mais rápido possível. 

Como aumentar a imunidade rapidamente 

Para aumentar a imunidade rapidamente deixando o corpo mais forte no combate aos agentes agressores deve-se:

Adotar bons hábitos de saúde, realizando atividade física, dormindo adequadamente e evitando situações de estresse;

Evitar o cigarro ou estar exposto ao cigarro;

Expor-se ao sol diariamente, de preferência até as 10 horas da manhã e depois das 16 horas, sem protetor solar, para aumentar a produção de vitamina D no organismo;

Consumir alimentos saudáveis e manter uma dieta equilibrada, que inclua o consumo de frutas, verduras e legumes, de preferência orgânicos ou produzidos em casa sem agrotóxicos;

Evitar ao máximo fast food e alimentos industrializados e comidas congeladas como pizzas e lasanhas, por exemplo, pois contém substâncias que promovem a inflamação do organismo;

Evitar tomar remédios sem orientação médica;

Beber cerca de 2 litros de água mineral ou filtrada todos os dias. 

Além disso, caso tenha alguma doença causada por vírus, como gripe, por exemplo, é importante evitar frequentar lugares públicos fechados, como shopping, teatros e cinemas, além de ser importante lavar as mãos frequentemente com água e sabão, assim como evitar tocar os olhos, nariz e a boca com as mãos sujas. Dessa forma, é possível reduzir o risco de adquirir a doença e de haver o desenvolvimento de complicações, principalmente no caso da pessoa possuir o sistema imunológico mais fraco.

VÍDEOS