Aluna diz ser uma ‘decepção’ em matemática e professor a ajuda com palavra de incentivo

13 de setembro de 2019, 10:01

Jovem compartilhou no Twitter a foto da prova em que a amiga assumiu ter dificuldades. (Foto: Twitter / @strwngerfinn)

Uma jovem chamada Julia compartilhou em seu perfil do Twitter na última terça-feira, 10, uma mensagem de apoio que sua amiga recebeu do professor de matemática.

A adolescente estava sem esperanças de conseguir uma boa nota na prova e deixou isso claro para o educador com um recado no fim do exame.

“Jorge [nome do professor], eu sou uma decepção em matemática. Então não se assuste com o meu zero. Me dá um ponto”, escreveu.

O homem então surpreendeu sua aluna reescrevendo como ela poderia se dirigir a ele naquele momento. “Jorge, eu não sou uma decepção em matemática! Então me ajude a entender melhor?”, anotou em caneta vermelha. “Claro!”, respondeu ele próprio,

mostrando que não está ali para usar notas baixas como forma de punição, mas, sim, para lhe estender a mão e ajudá-la a aprender.

A atitude viralizou no Twitter e teve mais de 135 mil curtidas e 21 mil compartilhamentos até agora. Alguns internautas aproveitaram para brincar com a situação. “Uma vez um amigo escreveu ‘seja o que Deus quiser’ na prova e o professor de matemática respondeu ‘ele não quis’ (risos)”, contou uma usuária da rede social.

 

DIVULGUE A NOTÍCIA

Justiça multa Facebook em R$ 6,6 mi por compartilhar dados de usuários

OMinistério da Justiça e da Segurança Pública (MJSP) decidiu multar o Facebook em R$ 6,6 milhões por compartilhamento indevido de dados de usuários cadastrados na rede social. A decisão foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) nesta segunda-feira, 30.

A multa, aplicada pelo Departamento de proteção e Defesa do Consumidor (DPDC), órgão do MJSP, acontece após investigação que identificou “prática abusiva” por parte da empresa de tecnologia, que teria deixado vulneráveis dados de 443 mil usuários.

Segundo nota publicada no site da pasta, “o caso começou a ser investigado após notícia veiculada pela mídia, em 4 de abril de 2018, informando que os usuários do Facebook, no País, poderiam ter sofrido com o uso indevido de dados pela consultoria de marketing político Cambridge Analytica”, que ganhou notoriedade global por ter trabalhado na campanha presidencial de Donald Trump, nos Estados Unidos, e também para a campanha do Brexit, como é conhecido o processo de saída do Reino Unido da União Europeia.

Pelo Twitter, o ministro da Justiça, Sérgio Moro, destacou a decisão do ministério e afirmou que “as redes revolucionaram a forma pela qual nos comunicamos e expressamos, mas há questões sobre privacidade a serem consideradas”. O Facebook tem dez dias para recorrer da decisão.

VÍDEOS