Alerta: conjuntivite aumenta no verão; saiba como prevenir

07 de março de 2018, 11:13

(Foto: COPYRIGHT MÃE-ME-QUER®)

A conjuntivite pode ser viral, bacteriana, alérgica ou tóxica com sintomas bastante semelhantes, mas tratamentos diferentes.

Olhos vermelhos, lacrimejamento, coceira, sensação de corpo estranho, queimação, fotofobia e visão borrada são os sintomas da conjuntivite, inflamação da conjuntiva, membrana que recobre a esclera, do parte branca dos olhos e a face interna das pálpebras.

Segundo o oftalmologista Leôncio Queiroz Neto, do Instituto Penido Burnier, a doença acontece o ano todo mas no verão aglomerações água contaminada das piscinas e praias, excesso de filtro solar e compartilhamento de teclados em empresas facilitam o aumento de casos.

Ele explica que a conjuntivite pode ser viral, bacteriana, alérgica ou tóxica com sintomas bastante semelhantes, mas tratamentos diferentes O problema é que o 30% dos brasileiros costumam se automedica hábito que chega a 40% no verão conforme um levantamento feito pelo oftalmologista.

O oftalmologista afirma que para que para cada tipo de conjuntivite tem um tratamento diferente e usar a medicação errada pode mascarar a doença e provocar danos mais graves.

Por exemplo, o contato dos olhos com excesso ou falta de cloro nas piscinas e água contaminada do mar, além do excesso de protetor solar na região dos olhos pode causar três tipos de conjuntivite: viral , bacteriana, alérgica ou tóxica.

Tratamentos

Queiroz Neto ressalta que o problema é que os sintomas da conjuntivite alérgica, frequentemente causada pela penetração do filtro solar nos olhos, e da viral são idênticos – coceira, olhos irritados, fotofobia e visão borrada e secreção aquosa, diz Queiroz Neto.

Mas a alérgica pode ser tratada com colírio anti-histamínico e para conjuntivite viral é indicado o uso de colírio anti-inflamatório. Nos dois casos recomendada aplicação de compressas frias para aliviar os sintomas

Já a conjuntivite bacteriana provoca uma secreção amarelada. O especialista diz que o tratamento é feito com colírio antibiótico também por uma semana.

O oftalmologista ressalta que o uso prolongado de colírio anti-inflamatório é perigoso porque geralmente contém corticóide que aumenta o risco de surgir catarata e glaucoma, Por outro lado, adverte, o uso indiscriminado de antibióticos pode causar resistência da bactéria à medicação o que dificulta a cura.

Prevenção

O médico afirma que a conjuntivite viral e bacteriana são altamente contagiosas e podem ser contraídas até na alça dos carrinhos de supermercado, corrimãos de escadas de locais públicos e compartilhamento de teclados nas empresas. As principais dicas do médico para evitar o contágio são:

Lavar as mãos com frequência.

Não coçar os olhos.

Evitar aglomerações. sempre que possível

Não compartilhar colírio, toalhas, fronhas ou maquiagem.

Usar óculos de natação nas praias e piscinas.

Usar álcool gel nas mãos

Para prevenir a conjuntivite tóxica ou alérgica causada pela penetração de filtro solar, maquiagem e outros cosméticos nos olhos as dicas do oftalmologista são:

· Evite excesso de filtro solar, bronzeador ou maquiagem.

· Proteja a região dos olhos com óculos solar que tenha filtro UVA e UVB

· Lave os olhos em casos de penetração de substâncias químicas.

· Na exposição ao sol enxugue a transpiração ao redor dos olhos com toalhas descartáveis.

· Lave com frequência o rosto e as mãos.

· Não compartilhe produtos de beleza, toalhas de rosto ou colírios.

· Evite coçar ou levar as mãos aos olhos.

· Use óculos de mergulho para nadar e óculos de proteção para trabalhar com produtos químicos.

· Não use colírios sem prescrição médica.

· Interrompa o uso de produtos que causam desconforto nos olhos.

· Substitua as lentes de contato por óculos na piscina ou praia.

· Evite usar receitas caseiras sem conhecimento de seu médico

Como aumentar a imunidade rapidamente 

Para aumentar a imunidade rapidamente deixando o corpo mais forte no combate aos agentes agressores deve-se:

Adotar bons hábitos de saúde, realizando atividade física, dormindo adequadamente e evitando situações de estresse;

Evitar o cigarro ou estar exposto ao cigarro;

Expor-se ao sol diariamente, de preferência até as 10 horas da manhã e depois das 16 horas, sem protetor solar, para aumentar a produção de vitamina D no organismo;

Consumir alimentos saudáveis e manter uma dieta equilibrada, que inclua o consumo de frutas, verduras e legumes, de preferência orgânicos ou produzidos em casa sem agrotóxicos;

Evitar ao máximo fast food e alimentos industrializados e comidas congeladas como pizzas e lasanhas, por exemplo, pois contém substâncias que promovem a inflamação do organismo;

Evitar tomar remédios sem orientação médica;

Beber cerca de 2 litros de água mineral ou filtrada todos os dias. 

Além disso, caso tenha alguma doença causada por vírus, como gripe, por exemplo, é importante evitar frequentar lugares públicos fechados, como shopping, teatros e cinemas, além de ser importante lavar as mãos frequentemente com água e sabão, assim como evitar tocar os olhos, nariz e a boca com as mãos sujas. Dessa forma, é possível reduzir o risco de adquirir a doença e de haver o desenvolvimento de complicações, principalmente no caso da pessoa possuir o sistema imunológico mais fraco.

VÍDEOS