Álcool gel caseiro não é eficaz contra o coronavírus

19 de março de 2020, 11:59

O único produto eficaz no combate e que de fato tem ação efetiva é o álcool 70%. Ele é comprovadamente eficaz e tem ação rápida (Foto: Reprodução)

A preocupação com a pandemia do coronavírus não pode ser considerada um exagero. É preciso tomar cuidados com a higiene para se precaver contra o vírus que tem feito vítimas no mundo todo. Lavar bem as mãos e utilizar álcool gel são as principais medidas de prevenção. Com a inflação e até a falta de álcool gel nos supermercados, muitas receitas caseiras do produto começam a ser difundidas nas redes sociais e no Whatsapp. No entanto, a eficácia não é comprovada, alerta o químico Marcos Halazs e também o Conselho Federal de Química (CFQ).

“O único produto eficaz no combate e que de fato tem ação efetiva é o álcool 70%. Ele é comprovadamente eficaz e tem ação rápida, tanto nas fórmulas líquida quanto gel. As soluções caseiras são perigosas, pois as pessoas acreditam estar se protegendo quando, na verdade, não. Vinagre e outros produtos também não tem comprovação alguma”, declarou Halazs ao jornal A Gazeta, do Espírito Santo.

O CFQ orienta que a população siga as orientações dos órgãos de saúde, que é lavar as mãos com água e sabão ou usar álcool em gel quando não for possível higienizá-las em uma torneira. “Aqueles que não são profissionais e não tem pleno conhecimento dos potenciais riscos envolvidos, não recomendamos realizar receitas caseiras”, recomenda o CFQ, enfatizando que muitos acidentes ocorrem com a manipulação de álcool, produto inflamável.

Além de lavar as mãos, é importante que as pessoas evitem coçar olhos e colocar a mão na boca, além de manterem distanciamento social para diminuir o risco de contaminação. Em vídeo, o Conselho explica como o etanol age na higienização e combate ao Covid-19.

Como aumentar a imunidade rapidamente 

Para aumentar a imunidade rapidamente deixando o corpo mais forte no combate aos agentes agressores deve-se:

Adotar bons hábitos de saúde, realizando atividade física, dormindo adequadamente e evitando situações de estresse;

Evitar o cigarro ou estar exposto ao cigarro;

Expor-se ao sol diariamente, de preferência até as 10 horas da manhã e depois das 16 horas, sem protetor solar, para aumentar a produção de vitamina D no organismo;

Consumir alimentos saudáveis e manter uma dieta equilibrada, que inclua o consumo de frutas, verduras e legumes, de preferência orgânicos ou produzidos em casa sem agrotóxicos;

Evitar ao máximo fast food e alimentos industrializados e comidas congeladas como pizzas e lasanhas, por exemplo, pois contém substâncias que promovem a inflamação do organismo;

Evitar tomar remédios sem orientação médica;

Beber cerca de 2 litros de água mineral ou filtrada todos os dias. 

Além disso, caso tenha alguma doença causada por vírus, como gripe, por exemplo, é importante evitar frequentar lugares públicos fechados, como shopping, teatros e cinemas, além de ser importante lavar as mãos frequentemente com água e sabão, assim como evitar tocar os olhos, nariz e a boca com as mãos sujas. Dessa forma, é possível reduzir o risco de adquirir a doença e de haver o desenvolvimento de complicações, principalmente no caso da pessoa possuir o sistema imunológico mais fraco.

VÍDEOS