ALBA e fórum de entidades negras reforçam cultura afrodescendente

22 de agosto de 2019, 10:48

(Foto: JulianaAndrade/AgênciaALBA)

A Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA) abraçou, efetivamente, a defesa dos interesses do movimento negro no Estado. A visita de diretores do Fórum de Entidades Negras ao presidente da Casa, deputado Nelson Leal (PP), na tarde dessa quarta-feira (21), selou uma parceria inédita até então entre as partes.
 
“O Legislativo baiano reconhece a importância do apoio da Casa ao movimento negro. Somos a cidade com a maior população negra fora da África. A ALBA se compromete em realizar uma sessão especial, no dia 8 de novembro, para homenagear os mártires da Revolta dos Búzios, que completa 220 anos. Vamos estudar a forma legal para ajudar na caminhada do dia 20 de novembro, que celebra o Dia da Consciência Negra”, assegurou, o chefe da Alba.
 
O presidente do Legislativo destacou a relevância da parceria, como veículo de valorização da cultura negra. “São duas datas importantíssimas para o movimento e nossa cultura. Precisamos abrir as portas desse poder para o movimento negro. Estou muito feliz com esta visita que engrandece o Parlamento. São pessoas que lutam todos os dias para que nossa cultura seja cada vez mais valorizada. Vou me desdobrar para que os compromissos assumidos sejam todos realizados”, elogiou, Nelson Leal.
 
Titular da Comissão Especial da Promoção da Igualdade, da ALBA, o deputado Jacó (PT) também ressaltou o valor do encontro. “Esse momento traz uma simbologia muito grande. Primeira vez que o movimento negro na Bahia tem acesso ao presidente do poder Legislativo. Agradeço a Nelson Leal pela cordialidade e escutar a pauta do movimento negro. Ele se comprometeu em construir o diálogo com as esferas de poder, ver quem pode ajudar e, acima de tudo, promover esta interação. Cada vez que os movimentos sociais se aproximam da Casa do Povo fortalece a luta contra o racismo e as demais bandeiras”, explicou, Jacó.
 
Representaram o Fórum de Entidades Negras na audiência com Nelson Leal, ocorrida no gabinete da presidência, Jorge Santos, do Bloco Muzenza; Vovô, do Ilê Aiyê; Paulinho, do Grupo Cultural Negões; Bujão, do Movimento Negro Unificado; e Jorge Bafafê, do Grupo Okambi.
 
O coordenador do Fórum de Entidade Negras, Jorge Santos, elogiou o ineditismo da audiência. “Para nós, do movimento negro, é um momento ímpar, porque é a primeira vez que estamos conversando com o presidente da Assembleia para apoiar um evento que é realizado há 18 anos. Tenho certeza que o presidente Nelson Leal está dando o start para que os demais presidentes da Casa tenham também o discernimento de apoiar a caminhada e as muitas outras atividades do Fórum de Entidades Negras, em particular a de 20 de novembro, que referenda toda a luta do movimento negro”, acredita, o diretor do Muzenza.
 
CONJURAÇÃO BAIANA
 
O dia 8 de novembro, quando acontecerá a sessão especial no Legislativo estadual, marca a passagem dos 220 anos da Revolta dos Búzios e a data de enforcamento, no Largo da Piedade, das quatro maiores lideranças do movimento: Lucas Dantas, Manuel Faustino, Luís das Virgens e João de Deus.
 
Também chamada de Conjuração Baiana ou Revolta dos Alfaiates – por ter sido basicamente formada por soldados e alfaiates -, a Revolução dos Búzios foi um dos mais importantes movimentos do Brasil, e a primeira revolução social do país: 1798 – 1799. Além da independência do jugo de Portugal, a revolução buscava ainda a liberdade dos escravos, igualdade racial e social.
 
AgênciaALBA

Principais sintomas físicos e mentais da abstinência de nicotina

A síndrome de abstinência de nicotina provoca inúmeros sintomas nos ex-fumantes. Contudo, explica um artigo publicado no portal Melhor Com Saúde, esses efeitos colaterais variam em intensidade dependendo da pessoa. 

O fato da nicotina ser uma droga muito viciante faz com que o hormônio conhecido como dopamina seja liberado no cérebro – este hormônio é responsável por aumentar a sensação de prazer e bem-estar. E como tal, o organismo reage negativa e violentamente à ausência da droga.

Ainda assim, a síndrome de abstinência de nicotina não representa qualquer risco para a saúde. Estima-se que os sintomas associados à condição afetam até 85% dos ex-fumantes. 

Os sintomas desta síndrome variam, mas, sem dúvida alguma, o mais comum é a vontade de fumar que pode surgir na presença de múltiplos estímulos, como por exemplo ver outra pessoa fumar, ou inclusive sem uma causa aparente.

Os principais sintomas da síndrome de abstinência da nicotina são os seguintes, de acordo com o portal Melhor Com Saúde:

Sintomas físicos

Aumento do apetite
Tosse
Boca seca
Dor de cabeça
Tontura
Fadiga
Coriza (inflamação da mucosa das fossas nasais; rinite, defluxo)
Dor de garganta, na língua ou gengivas
Sensação de aperto no peito
Ganho de peso
Frequência cardíaca mais lenta ou bradicardia
Obstipação
Hipotensão

Sintomas mentais

Ansiedade, inquietação e irritabilidade
Dificuldade em se concentrar
Insônia e dificuldade para dormir bem
Raiva e frustração
Depressão
Desânimo
Mau humor

Os sintomas da síndrome de abstinência da nicotina normalmente duram de 4 a 12 semanas e surgem nas primeiras 12 a 24 horas após parar de fumar. 

Os especialistas explicam que a fase mais critica são as primeiras duas a três semanas de cessação tabágica. Sendo que os sintomas começam gradualmente a desaparecer e, com o tempo o indivíduo aprende a controlar o desejo de fumar. 

VÍDEOS