Afinal, de onde vem o ouro? Cientistas procuram explicação

18 de setembro de 2020, 15:21

(Foto: Reprodução)

De onde vem o ouro? A origem de um dos metais mais valiosos do mundo ainda é mistério para os cientistas. Eles já conhecem o processo que leva as estrelas a criarem elementos mais pesados que o ferro, mas ainda não podem explicar a abundância desses elementos no universo.

Forjado nas estrelas

As estrelas são as forjas que produzem a maioria dos elementos do universo. No núcleo delas, ocorre a fusão nuclear, que é o processo em que vários núcleos atômicos se juntam para formar outro núcleo de maior número atômico. Ao fim da vida, elas culminam em uma explosão gigantesca, que então espalha grande parte de toda a sua matéria pelo universo, num fenômeno conhecido como supernova.

Nas estrelas, o principal processo de fusão que ocorre é o de conversão do Hidrogênio em Hélio. Essas reações, que acontecem em seu interior, mantêm elas brilhando por bilhões de anos.

Nas primeiras estrelas, cada vez mais elementos se fundiram ​​para formar elementos mais pesados, até produzir, finalmente, o ferro.

isso, confirmaram a teoria de que, nessas explosões, elementos mais pesados ​​que o ferro são forjados.

 

Isso se explica pelo chamado processo-R, que ocorre em explosões altamente energéticas, gerando uma série de reações nucleares. No processo, núcleos atômicos colidem com nêutrons para sintetizar elementos mais pesados ​​que o Ferro – como o Ouro, a Prata, o Tório e o Urânio. Se trata, enfim, de um processo de captura rápida de nêutrons.

Mas de onde vem todo o ouro?

Na época da detecção da colisão, os cientistas pensaram ter a resposta para a pergunta: como exatamente esses elementos, incluindo o ouro, se alastraram pelo universo? Para eles, o processo-R seria a resposta.

Mas há um problema com isso. De acordo com modelos mais recentes de evolução química galáctica, a quantidade de elementos pesados ​​encontrados na Via Láctea hoje é muito grande para que o processo-R, por si só, explique tudo.

À medida que as estrelas envelhecem, elas produzem elementos cada vez mais pesados enquanto o seu interior se aquece. O próprio ferro pode se fundir, mas isso consome uma quantidade enorme de energia – mais do que produz a própria fusão.

que o ferro, o processo-R deve ser muito rápido, de forma que o decaimento radioativo não ocorra antes.

Sabe-se, agora, que a explosão gerada por uma colisão de estrelas de nêutrons pode fazer o processo-R ocorrer. Mas, para produzir a quantidade observada desses elementos mais pesados no universo, deveria haver mais colisões.

A verdade é que as colisões de estrelas de nêutrons não chegam nem perto de produzir a quantia encontrada no espaço. No geral, simplesmente não há colisões suficientes para explicar a abundância desses elementos. De onde mais vem o ouro então?

A pesquisa foi publicada no The Astrophysical Journal. Com informações de Science Alert.

Como aumentar a imunidade rapidamente 

Para aumentar a imunidade rapidamente deixando o corpo mais forte no combate aos agentes agressores deve-se:

Adotar bons hábitos de saúde, realizando atividade física, dormindo adequadamente e evitando situações de estresse;

Evitar o cigarro ou estar exposto ao cigarro;

Expor-se ao sol diariamente, de preferência até as 10 horas da manhã e depois das 16 horas, sem protetor solar, para aumentar a produção de vitamina D no organismo;

Consumir alimentos saudáveis e manter uma dieta equilibrada, que inclua o consumo de frutas, verduras e legumes, de preferência orgânicos ou produzidos em casa sem agrotóxicos;

Evitar ao máximo fast food e alimentos industrializados e comidas congeladas como pizzas e lasanhas, por exemplo, pois contém substâncias que promovem a inflamação do organismo;

Evitar tomar remédios sem orientação médica;

Beber cerca de 2 litros de água mineral ou filtrada todos os dias. 

Além disso, caso tenha alguma doença causada por vírus, como gripe, por exemplo, é importante evitar frequentar lugares públicos fechados, como shopping, teatros e cinemas, além de ser importante lavar as mãos frequentemente com água e sabão, assim como evitar tocar os olhos, nariz e a boca com as mãos sujas. Dessa forma, é possível reduzir o risco de adquirir a doença e de haver o desenvolvimento de complicações, principalmente no caso da pessoa possuir o sistema imunológico mais fraco.

VÍDEOS