NOTÍCIAS EM DESTAQUE


Gretchen reclama de ser “envelhecida” por Tirulipa: “Não achei de bom tom”

18 de julho de 2019, 13:55

Tirulipa faz montagem com Gretchen "envelhecida" (Foto: Reprodução/Instagram @tirulipa)

Na onda do aplicativo que envelhece as pessoas, Tirulipa resolveu brincar com uma personalidade que não gosta muito da velhice: Gretchen. Ela, que completou 60 anos em junho, não gostou muito da brincadeira do humorista, mas contou nas redes sociais que não "viu maldade", apenas "não achou de bom tom". "Não é polêmica nenhuma essa brincadeira do Tirulipa. Ele fez uma brincadeira, não é tão de bom tom, mas conheço Tirulipa desde pequena quando trabalhava com o pai dele nos circos fazendo shows. Ele é uma pessoa incrível, um doce”, falou a eterna rainha do rebolado nas redes sociais Gretchen "envelhecida" em aplicativo (Foto: Reprodução/Instagram @tirulipa) Ela continua: “Não tem maldade. Ele é um humorista, gente! Só quero dizer que não estou chateada e nem magoada. Claro que não achei bonito, mas também achei engraçado porque um dia todo mundo vai ficar velho". Tirulipa chegou a apagar a postagem por ter recebido muitas críticas em suas redes sociais. Mas, pelo visto, está tudo bem entre ele e Gretchen

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Ficar no celular enquanto usa o banheiro pode causar problemas sérios de saúde

18 de julho de 2019, 12:11

(Foto: Reprodução)

Você usa o celular enquanto faz suas necessidades fisiológicas? Então leia essa matéria até o fim. Segundo estes especialistas Charles Gerba e Kelly Reynolds, da Universidade do Arizona nos Estados Unidos, que estudam microbiologia e saúde ambiental, explicam que mesmo o banheiro estando limpo, sempre será um ambiente lotado de germes e bactérias, proveniente das fezes, que contaminam a descarga, torneira e o piso. Agora imagine você usando o vaso sanitário de sua casa com o celular em punho, sem que perceba estará passando os germes do ambiente para o aparelho, que estará manuseado diariamente em outros ambientes. O estudo foi feito pela Universidade do Arizona, que verificou que nove em cada dez celulares contém micróbios, que podem transmitir sérias doenças como: hepatite, infecções por salmonela, conjuntivite e infecções respiratórias. Poderá ainda acontecer de o celular cair dentro da privada, depois tentar seca-los, mesmo que consiga retirar a umidade, isso não matará os germes e micróbios do aparelho. Higienize sempre seu aparelho celular, procure não leva o maios o celular para o banheiro, assim irá prevenir e evitar diversos problemas afastando essas doenças.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Rei de Malásia que renunciou trono por esposa se divorcia após 7 meses

18 de julho de 2019, 11:58

(Foto: Reprodução)

Rei de Malásia que renunciou ao trono por esposa se divorcia após 7 meses -  SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A breve história de amor entre Mohammed V de Kelantan, que foi rei da Malásia até o início deste ano, e Rihana Oksana Voevodina, ex-modelo russa, terminou tão rápido quanto começou, segundo reportagem do El País. De acordo com o jornal espanhol, a imprensa local noticiou esta quarta (17) documentos públicos do divórcio entre os dois, que se casaram em uma cerimônia em Moscou em novembro do ano passado. Não se sabe o que teria levado ao término, mas os indícios apontam para uma separação litigiosa. De acordo com o El País, o divórcio foi realizado da forma mais severa prevista na lei islâmica, o chamado triplo talaq. Segundo essa tradição, basta que o marido repita a palavra "talaq" três vezes para que a separação irrevogável se concretize. Alguns países muçulmanos, como o Paquistão, banem a prática por considerar que ela viola os direitos das mulheres. O palácio real de Kelantan se limitou a divulgar um comunicado oficial em que pede à imprensa que não se refira a "certos indivíduos" como portadores de alguns títulos de nobreza -entre eles está o de rainha de Rihana Oksana. Nem o ex-rei, nem sua ex-esposa se manifestaram publicamente sobre a separação.  O romance entre os dois começou de forma igualmente misteriosa. Mohammed V se casou nenhum aviso prévio com a ex-miss Moscou Oksana Voevodina em novembro de 2018 em uma cerimônia em Moscou. Então com 25 anos, a ex-modelo que trabalhou durante anos na China e na Tailândia se converteu ao Islã, religião oficial da Malásia, e adotou o nome Rihana Oksana Voevodina. Em entrevistas, ela afirmou que gostava de homens que "andam de skate e bicicleta e participam de competições". Porém, Mohammed V parece ter atendido ao seu critério mais importante: "acredito que o homem deve ser a cabeça da família e por isso não deve ganhar menos que a mulher".  Ativa nas redes sociais, Oksana incomodou a família real desde o início do relacionamento. As fotos que publicava em sua conta no Instagram, nas quais mostrava sua vida de rainha, contrastavam com a tradicional discrição dos parentes do marido.  Em um dos posts, ela conta como os dois se conheceram: "Ele se apresentou como o rei da Malásia. Achei que fosse uma piada, e respondi dizendo que era a rainha de Moscou", escreveu ela, segundo o El País.  Em maio deste ano, seis meses após as bodas do casal, Oksana deu à luz a um filho. Seu perfil na rede social também conta com várias fotos suas durante a gravidez.  A polêmica envolvendo o casal pareceu atingir seu auge quando, no fim de 2018, vieram à tona imagens de um reality show russo no qual Oksana havia participado. As cenas mostravam a nova rainha fazendo sexo com um homem jovem.  O episódio foi o estopim para renúncia de seu marido, ocorrida em janeiro deste ano. Mohammed V foi o primeiro rei da história moderna da Malásia a renunciar desde que o país se tornou uma monarquia parlamentar. 

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Para MPF, decisão de Toffoli pode gerar sanção ao País

18 de julho de 2019, 11:52

(Foto: © Alan Santos/PR)

O ministro suspendeu investigações com dados bancários e fiscais compartilhados sem autorização judicial -  A decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, que suspendeu investigações com dados bancários e fiscais compartilhados sem autorização judicial, pode levar o País a sofrer sanções internacionais, segundo a avaliação de integrantes do Ministério Público Federal. Segundo eles, a determinação contraria recomendações de órgãos como o Grupo de Ação Financeira contra a Lavagem de Dinheiro e Financiamento do Terrorismo (Gafi). O grupo é uma espécie de fórum intergovernamental mundial, que reúne 35 países, para promover leis e normas globais contra a lavagem de dinheiro. Ao descumprir suas recomendações, o Brasil corre o risco de entrar na "lista negra" de nações não engajadas na prevenção a esses tipos de crimes e sofrer sanções econômicas, políticas e diplomáticas de países como Estados Unidos e membros da União Europeia. Em nota, as forças-tarefa das operações Lava Jato e Greenfield demonstraram preocupação com a falta de cumprimento de regras internacionais. "A referida decisão contraria recomendações internacionais de conferir maior amplitude à ação das unidades de inteligência financeira, como o Conselho de Controle de Atividades Financeira (Coaf)", afirma. Segundo especialistas, até mesmo agências de avaliação de risco, como Standard & Poor's, Fitch e Moody's usam o enquadramento do país nas regras do Gafi como critério. "Podemos entrar em listas de alerta e listas de bloqueio que dificultam ou tornam lentos negócios e perder condições de receber investimentos internacionais", afirmou o procurador da República José Robalinho. A decisão de Toffoli define que os processos suspensos são aqueles em que o órgão de controle enviou ao investigador relatórios detalhados sobre o contribuinte, sem passar pelo crivo de um juiz. Ou seja, se o Coaf comunicou apenas que a movimentação de uma pessoa é incompatível com sua renda, por exemplo, o processo não é afetado. Precedentes A Procuradoria-Geral da República, chefiada por Raquel Dodge, afirmou nesta quarta-feira, 17, que, ao decidir suspender os processos, Toffoli contrariou julgamentos do próprio Supremo. Em 2016, a Corte entendeu que a Receita Federal poderia receber dados bancários de contribuintes fornecidos diretamente pelos bancos sem aval da Justiça, inclusive com o voto favorável de Toffoli. Na ocasião, o julgamento foi considerado um marco para que o Brasil se equiparasse a padrões internacionais. O entorno de Toffoli, no entanto, argumenta que a decisão de terça-feira se refere a um assunto que nunca foi analisado de forma definitiva na Corte. Procurado, o ministro não se manifestou. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Vacina contra HIV está prestes a ser testada nos EUA e na Europa

18 de julho de 2019, 09:34

(Foto: Reprodução)

A Johnson & Johnson fará testes também na América do Norte e Sul  -   A Johnson & Johnson, uma das maiores empresas farmacêuticas do mundo, está pronta para iniciar testes de uma vacina experimental contra o HIV. Trata-se de uma tentativa absolutamente necessária e audaciosa para desenvolver a primeira imunização contra a doença após décadas. A farmacêutica divulgou que irá iniciar a fase de testes em 3.800 pessoas no final deste ano na Europa, América do Sul e América do Norte, incluindo nos Estados Unidos. Para o professor da Escola de Medicina de Harvard, Dan Barouch, a abordagem aproxima os investigadores do desenvolvimento de uma solução para a vasta variação do vírus que existe em todo o mundo. "Por motivos médicos e de saúde pública global, é melhor ter uma vacina que funcione em várias partes do mundo", afirmou Barouch. Os participantes serão homens homossexuais. Os voluntários receberão seis doses da vacina em quatro sessões. Os resultados dos ensaios são esperados até 2023.  

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

A verdade saindo do poço

17 de julho de 2019, 17:27

“A Verdade saindo do poço” (“La Vérité sortant du puits”), do artista francês, Jean-Léon Gérôme

*Por Gervásio Lima  -   Inúmeros episódios ocorridos no Brasil antes e após as últimas eleições estão deixando o povo brasileiro encucado. Uma ‘aura sombria’ ronda o país num momento de incertezas, impotências e de medo. O brio está cedendo espaço para o esmorecimento e o antes envaidecido agora anda cabisbaixo e desolado, quiçá envergonhado. Conseguir lidar com as situações inevitáveis da vida é uma grande e importante virtude e demonstração de força, e a população brasileira com sua peculiar resiliência sabe muito bem o que é isto, por viver ainda uma cultura onde o sofrimento é enaltecido e valorizado. Talvez por ter cerca de 90 por cento de seus habitantes declarados cristãos, o Brasil se apega à fé para acreditar que ‘depois da tempestade vem a bonança’. Uma antiga parábola judaica sobre a verdade e a mentira, intitulada “A Verdade saindo do poço” (La Vérité sortant du puits) e ilustrada pelo artista francês Jean-Léon Gérôme, em 1896, diz que “a mentira vive viajando ao redor do mundo vestida com as roupas da verdade, satisfazendo as necessidades da sociedade porque percebeu que o mundo não tem nenhum desejo de encontrar a verdade nua. Aos olhos de muita gente é muito mais fácil aceitar a mentira com as roupas da verdade do que a verdade nua e crua”. Qualquer semelhança não é mera coincidência. Nunca na história da terra dos saudosos João Gilberto e Paulo Henrique Amorim se conheceu tantos lobos em peles de cordeiros. O que até pouco tempo era a ‘verdade absoluta’ se revelou em mais uma fraude, uma mentira (fake), como tantas outras que passaram a fazer parte do cotidiano da Nação Tupiniquim, com o aval de poderes que também em outrora eram respeitados pela ‘verdade’ que pregavam. A angústia é um sentimento que está relacionado com situações que acontecem nem sempre por vontade própria, é uma manifestação emocional que perturba e incomoda; mas não é perpétua. Ter a humildade de reconhecer os erros e trabalhar para corrigi-los é uma qualidade dos fortes. Errar é humano... Como na música ‘Sozinho’, de Peninha, é preciso ‘sonhar acordado, juntar o antes, o agora e o depois’ e se apegar na esperança de o bem vir a vencer o mal e a verdade prevalecer. Forte é o povo! *Jornalista e historiador

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Joaquín ‘El Chapo’ Guzmán é condenado à prisão perpétua nos EUA

17 de julho de 2019, 12:19

(Foto: Divulgação)

O líder do Cartel de Sinaloa, Joaquín Guzmán, conhecido como "El Chapo", foi condenado à prisão perpétua nesta quarta-feira (17) pela Justiça Federal dos Estados Unidos. O juiz Brian Cogan decidiu que, além da prisão perpétua, El Chapo também foi sentenciado a entregar US$ 12,6 bilhões (R$ 47,4 bilhões). A expectativa é que ele cumpra a pena na Instalação Máxima Administrativa Penitenciária dos Estados Unidos, no estado do Colorado, conhecida como ADX, a mais restritiva no país. El Chapo foi preso em 2016 e extraditado do México para os EUA em 2017, onde ficou isolado em uma prisão solitária por possuir um histórico de fugas de cadeias mexicanas. Segundo a agência Reuters, momentos antes de ser anunciada sua sentença, EL Chapo falou que o período em que passou na prisão dos EUA "foi uma tortura mental, emocional e psicológica 24 horas por dia". Ele afirmou ter sido submetido a tratamento "cruel e desumano". As provas do processo contra ele foram coletadas desde a década de 80 e mostram que o cartel de Sinaloa contrabandeou drogas para os EUA durante os 25 anos em que Chapo esteve ativo.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Tomar mais de 3 xícaras de café por dia eleva risco de pressão alta

17 de julho de 2019, 11:47

(Foto: Reprodução)

Em pequena quantidade, a bebida pode trazer benefícios e ajudar a evitar doenças cardiovasculares  -   Qual a quantidade de café que pode ser tomada por dia por quem tem predisposição a ter pressão alta e que não vai ser prejudicial? Uma pesquisa realizada pela Universidade de São Paulo (USP) com 533 pessoas da cidade de São Paulo apontou que mais de três xícaras, das de 50 ml, podem aumentar em até quatro vezes a possibilidade de o problema se manifestar. Tomar até três xícaras, no entanto, traz benefícios e ajuda a evitar doenças cardiovasculares. Pós-doutoranda no Departamento de Nutrição da Faculdade de Saúde Pública da USP (FSP-USP), a nutricionista Andreia Machado Miranda, principal autora do estudo, disse que os hábitos do indivíduo e a predisposição genética, isoladamente, já são fatores de risco conhecidos para a pressão arterial, mas ela e a equipe de pesquisadores se debruçaram nos impactos do consumo excessivo de café por pessoas saudáveis, mas com predisposição genética a ter hipertensão. Para isso, utilizaram como base o Inquérito de Saúde do Município de São Paulo (ISA-Capital 2008), que foi realizado com 3 mil pessoas. "É um estudo muito completo com dados de estilo de vida, coleta de sangue e de DNA, informações bioquímicas e aferição da pressão arterial. Definimos como pressão arterial normal valores abaixo de 140 por 90 milímetros de mercúrio (mmHg). Acima disso, era considerado pressão alta", explica a pesquisadora. O grupo desenvolveu escores genéticos de risco e analisou o consumo de café dos participantes (menos de uma xícara, entre uma e três xícaras, e mais de três xícaras), além da pressão arterial deles. "O consumo médio foi de duas xícaras e meia de café por dia. Nenhum dos participantes relatou o consumo de café descafeinado e quatro indivíduos falaram que consomem café expresso. O café é complexo. Ele é constituído por mais de 2 mil compostos químicos, entre eles, a cafeína, que aumenta os níveis da pressão arterial." A pesquisa mostrou que o grupo que tinha a pontuação mais elevada no escore genético e que bebia mais de três xícaras de café, a possibilidade de ter pressão alta era quatro vezes maior do que de quem não tinha a predisposição. "Como a maior parte da população não sabe se tem a predisposição, porque são dados de exames que não são habitualmente feitos, a pesquisa pode ajudar toda a população a saber qual o consumo adequado que deve ser feito de café", diz Andreia, que já realizou estudos sobre os efeitos do consumo da bebida. Efeito protetor "Em todos os nossos estudos, constatamos o efeito protetor para a parte cardiovascular. O café é rico em polifenóis, compostos bioativos que têm ação no organismo e só existem nos alimentos de origem vegetal. O organismo não produz. Diversos estudos têm mostrado uma contribuição na redução de doenças crônicas, como a cardiovascular. Por causa do poder antioxidante, melhora a vasodilatação e permite que a pressão arterial não aumente." Outro estudo realizado por Andreia apontou que o consumo de uma a três xícaras por dia traz benefícios para a saúde cardiovascular, como a regulação de um aminoácido chamado homocisteína, que está relacionado com episódios de enfarte e acidente vascular cerebral (AVC). A pesquisa, apoiada pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), foi publicada na revista Clinical Nutrition. O próximo passo do estudo é verificar o impacto do consumo de café em pacientes que já têm doenças cardiovasculares. "Agora, vamos identificar os efeitos nos pacientes que já sofreram um episódio de enfarte agudo do miocárdio ou angina instável e qual vai ser o impacto na sobrevida desses pacientes", disse. A previsão é de analisar, no período de quatro anos, dados de 1.085 pacientes atendidos no Hospital Universitário da USP.  

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

EUA premia brasileiro por luta contra intolerância religiosa

17 de julho de 2019, 10:31

(Foto: © Divulgação / Brunno Rodrigues)

Ivanir dos Santos receberá um prêmio em Washington por sua trajetória na luta contra a intolerância religiosa no Brasil SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O líder espiritual e professor da UFRJ Ivanir dos Santos recebe, nesta quarta (17), em Washington, um prêmio pela trajetória na luta contra a discriminação sofrida por praticantes de religiões de matriz africana no Brasil. Santos é homenageado -junto a lideranças de outras quatro nações- na edição inaugural de um prêmio internacional que reconhece ativistas que lutam pela liberdade religiosa, promovido pelo Departamento de Estado americano. A honraria reconhece seu "trabalho exaustivo no apoio ao dialogo inter-religioso" e os esforços em criar "mecanismos para a proteção de grupos vulneráveis", segundo o site do International Religious Freedom Award. Também serão agraciados o advogado sudanês de direitos humanos Mohamed Yosaif Abdalrahan, a líder espiritual nigeriana Imam Abubakar Abdullahi, a mediadora do diálogo entre religiões no Chipre Salpy Eskidjian Weiderud e o casal fundador da ONG iraquiana de defesa dos direitos humanos HHRO, William e Pascale Warda. "O que não se consegue dialogar no Brasil de hoje vai ter um diálogo nos Estados Unidos, mediado pelo governo americano: intolerância religiosa e estado laico", diz Santos. Ele afirma também estar surpreso com a escolha de "um negro não cristão" para o prêmio. Segundo o babalaô (sacerdote do culto de Ifá no candomblé), não se trata de reconhecimento pessoal, "mas de uma causa, de muita gente". "Querendo ou não é o reconhecimento de um grupo [religioso] minoritário, sempre perseguido na colônia, no Império e na República pelos neopentecostais. Vamos ter uma voz forte e com repercussão internacional." Filho de uma doméstica e de um operário, Santos nasceu em 1954 na extinta Favela do Esqueleto, na zona norte do Rio de Janeiro. Depois que sua mãe foi assassinada por policiais, quando era criança, foi viver em internatos, onde ficou por 12 anos. Ao sair, percebeu que jovens negros e oriundos de favelas como ele tinham dificuldade em conseguir emprego. Criou com um amigo a Associação dos Ex-Alunos da Funabem (Fundação Nacional do Bem-Estar do Menor), um dos seus primeiros atos na defesa de grupos marginalizados. Graduou-se em pedagogia e fez doutorado em história na UFRJ, instituição na qual leciona desde 2015. Em 2008, fundou a Comissão de Combate à Intolerância Religiosa, depois de um episódio em que praticantes da umbanda e do candomblé foram expulsos de seus terreiros pelo crime organizado na Ilha do Governador. A convite da ONU, viajou para diversos países fazendo palestras sobre democracia racial e extermínio de crianças e jovens negros no Brasil, além de ter criado a Caminhada em Defesa da Liberdade Religiosa, que chega neste ano à 12ª edição, em Copacabana. O evento de premiação se estende de terça (16) até quinta (18), na capital americana, e conta com a presença de líderes políticos e representantes da sociedade civil de mais de 140 países. A ministra Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos) confirmou participação. Os vencedores receberão um troféu na quarta (17), em cerimônia com a presença do Secretário de Estado, Mike Pompeo.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

FaceApp: por que o app que te deixa velho ameaça sua privacidade

16 de julho de 2019, 19:06

(Foto: Reprodução)

Nos últimos dias, a internet brasileira parece ter se tornado um asilo. Do dia para a noite, várias pessoas passaram a postar selfies com suas versões idosas. A tecnologia por trás  da brincadeira é o FaceApp, um aplicativo que soa inocente, mas pode ser extremamente invasivo em relação à privacidade. O FaceApp é um serviço russo, que surgiu em 2017, e utiliza inteligência artificial para modificar o rosto das pessoas de forma divertida. Ele permite deixar o indivíduo com aparência envelhecida, rejuvenescida, experimentar diferentes cortes de cabelo etc. Com mais de 50 milhões de downloads na Play Store, do Android, é o aplicativo gratuito mais baixado da plataforma.A empresa vende filtros pagos e exibe anúncios para os usuários. A política de privacidade do serviço está exposta no rodapé do site. Na avaliação de especialistas ouvidos, ela é um tanto problemática. Para Dennys Antonialli, diretor-presidente do Internet Lab, ONG que promove debates em direito e tecnologia, "o FaceApp tem uma política de privacidade bastante genérica, dando a possibilidade de coletar e usar não somente as fotos dos usuários, mas também outras informações sensíveis, como identificadores de seu aparelho celular, endereço de e-mail e dados de localização". Para Joana Varón, diretora executiva da Coding Rigts, organização de defesa de direitos humanos na internet, a política de privacidade do FaceApp é muito permissiva. "Eles afirmam que sua informação pode ser compartilhada com serviços e negócios que são parte do mesmo grupo do FaceApp ou ainda com afiliados [sem dizer quem seriam os afiliados]. Ou seja: o uso vai muito além da empresa dona do aplicativo", comenta. A companhia afirma que os dados do usuário podem ser usados para oferecer "informação e conteúdo personalizado para você e para outros, incluindo anúncios e outras formas de marketing", melhorar e testar a eficiência do serviço, reconhecer padrões demográficos, entre outros. O serviço ainda afirma que "as informações coletadas podem ser guardadas e processadas nos Estados Unidos ou em qualquer outro país que o FaceApp e seus afiliados ou provedores de serviço tenham instalações". Também faltam políticas de segurança. Nos termos, a empresa diz que "não pode garantir a segurança das informações que você transmite ao FaceApp ou garantir que essas informações no serviço não possam ser acessadas, abertas, alteradas ou destruídas". A descrição genérica permite que a empresa use os dados coletados sem dar muitas pistas do que o usuário pode esperar. Não que a companhia esteja sozinha. "O Faceapp é só mais um dos inúmeros aplicativos que utilizamos e que operam a partir de um modelo de negócios que se baseia na coleta e tratamento de dados pessoais", diz Antonialli. Por isso, é necessário tomar cuidados especiais. "Os termos de uso e políticas de privacidade foram feitos para não serem lidos. Mas podemos ter mais cuidado escolhendo um pouco os aplicativos que usamos", comenta Varón. Ela recomenda ler, pelo menos, os trechos que falam sobre o compartilhamento de dados e políticas de segurança. Antonialli recomenda evitar fazer login por meio do Facebook. Se fizer, desabilite o compartilhamento das fotos do perfil e do endereço de e-mail. Após usar o aplicativo, confira as permissões que você concedeu a ele no sistema de seu celular e desative-as. O FaceApp viola as leis brasileiras? Varón acredita que o aplicativo viola o Marco Civil da Internet. "Você está cedendo sua imagem para um um determinado fim: brincar com sua foto. Mas as políticas de privacidade do FaceApp deixam claro que não é isso. As imagens estão sendo arquivadas e processadas para diferentes fins, o que é ilegal no Brasil", diz. A Lei Geral da Proteção de dados, aprovada em 2018 e que só entrará em vigor em agosto de 2020, também entraria em conflito com o aplicativo. "A lei estabelece alguns princípios que devem nortear as atividades de coleta e tratamento de dados pessoais, como finalidade, adequação, necessidade e transparência, princípios esses que não são compatíveis com políticas tão amplas e genéricas como a do FaceApp. Isso também poderia afetar o consentimento do usuário, que precisa  ser oferecido com base em finalidades específicas, e não genéricas.", explica Antonialli. "De todo modo, o direito à privacidade está garantido pela Constituição Federal e práticas que o violem podem ser objeto de questionamento, inclusive judicial", conclui. Como o FaceApp pode fomentar políticas de vigilância Pequenas empresas que surgem coletando dados podem ser muito mais perigosas do que as grandes. "Tem mais gente se preocupando com o Facebook do que esses pequenos aplicativos que viralizam", diz Varón. Embora práticas questionáveis de respeito à privacidade não sejam exclusividade do FaceApp, a coleta e utilização das fotos dos usuários gera preocupações adicionais. "Especialmente em um contexto em que as tecnologias de reconhecimento facial estão sendo largamente aprimoradas", ressalta Antonialli. A selfie que você tira pode ser usada principalmente para alimentar bancos de dados usados para treinar câmeras de reconhecimento facial. Essa é uma tecnologia que está sendo criticada, tanto pelo estado de vigilância constante que cria quanto por, muitas vezes, funcionar de forma enviesada. "No mundo todo nossas imagens estão sendo utilizadas para treinar essas bases de dados sem nosso consentimento. E estamos treinando tecnologias que podem nos discriminar, limitar acesso a direitos, políticas", comenta Varón. No MIT, a pesquisadora Joy Buolamwini, analisou os sistemas de reconhecimento facial da Microsoft, Facebook e IBM e notou que os sistemas funcionavam melhor como homens e brancos. Na análise de erro da Microsoft, por exemplo, percebeu que o sistema errava o gênero 93,6% das vezes quando os rostos eram negros. Há dois anos, por exemplo, o FaceApp foi acusado de ter um filtro racista. Ao prometer deixar a pessoa mais sensual, ele clareava a pele do usuário. Na última semana, no Rio de Janeiro, uma mulher foi conduzida à delegacia porque uma câmera de reconhecimento facial a confundiu com uma suspeita de crimes. O metrô de São Paulo abriu uma licitação para a instalação de um circuito de segurança com reconhecimento facial. A tecnologia do reconhecimento facial está um tanto próxima de nós. E aplicativos que compartilham nossos rostos com terceiros podem acelerar seu desenvolvimento, mesmo que sem o consentimento consciente dos usuários.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Blogueira comete suicídio após ser abandonada no altar

16 de julho de 2019, 10:44

(Foto: © Reprodução / Instagram)

Alguns famosos e influenciadores digital decidiram comentar o caso que vem repercutindo nas redes sociais Neste domingo (14), a blogueira e influenciadora digital Alinne Araújo, de 24 anos, decidiu se casar sozinha após ter sido abandonada no altar pelo noivo Orlando Costa, de 30 anos. Nas redes sociais, a jovem decidiu compartilhar os vídeos de sua cerimônia solitária e o caso repercutiu na web. No entanto, instantes depois, ela acabou cometendo suicídio. Alinne teria se jogado do nono andar do prédio onde morava na Avenida Salvador Allende, no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio. A informação foi confirmada por familiares da jovem. No perfil do Instragram, milhares de internautas comentaram o caso e, inclusive, alguns famosos pediram para não propagarem discursos de ódio, uma vez que Alinne estava enfrentando um quadro depressivo. "Estou em choque. Mataram ela. Esses comentários mataram ela. O nível de crueldade foi sem medida. Foi tão grande que causaram a morte dela... Ódio não é opinião. Ódio mata. Meus mais sinceros pêsames aos familiares", escreveu Alexandra Gurgel. O apresentador Luiz Bacci Também comentou: "Um monte de comentário de ódio e raiva postado até a notícia da morte agora foi apagado. Que Deus tenha piedade de cada um que atirou pedra nessa menina. Triste. É o dia em que testemunhamos como a internet ajudou uma menina a se matar. Se não tem o que acrescentar: se cale. Tadinha da moça. Não merecia isso.", desabafou. O ex-noivo, Orlando Costa, não comentou o caso, apenas disse: "Não existo mais, estou acabado".

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Manuscrito cristão mais antigo do mundo é descoberto na Suíça

15 de julho de 2019, 15:20

(Foto: @PdPolitica)

A carta P.Bas. 2.43, escrita por um membro da elite provincial romana, é 40-50 anos mais antiga que os outros textos cristãos conhecidos  -   Um dos papiros da coleção da Universidade de Basileia (Suíça) é o manuscrito cristão mais antigo que se conhece, afirmou essa entidade em um comunicado com referência a uma monografia escrita este mês pela professora de História Antiga Sabine Huebner. Trata-se de um papiro que provém do povoado de Theadephia, localizado no centro de Egito. Ele contém uma carta escrita por Arrianus, membro da elite provincial romana, ao seu irmão Paulus na qual ele conta como vão as coisas na sua família e pede para lhe enviar um bom molho de peixe. O que chamou a atenção dos investigadores é a forma de expressão que aparece na última linha do texto: "Rezo ao Senhor para que tudo esteja bem contigo." "O uso desta abreviatura, conhecida neste contexto como "nomen sacrum", não deixa lugar para dúvidas sobre as crenças cristãs do remetente. É uma forma exclusivamente cristã que se conhece dos manuscritos do Novo Testamento", explicou Huebner. Para além disso, a professora pensa que o nome do destinatário é "extremamente raro" para aquela época, indicando que os pais de Arrianus e Paulus, fazendeiros e funcionários públicos, também seriam cristãos. De acordo com o comunicado, o manuscrito contraria o conceito de acordo com o qual os primeiros cristãos "eram retratados como excêntricos que se refugiavam do mundo e eram ameaçados por perseguição". Pelo contrário, mostra que algumas famílias cristãs ocupavam cargos importantes na província romana de Egito já no início do século III d.C. Uma análise meticulosa do documento permitiu a Huebner afirmar o texto teria sido elaborado na década de 230, se tornando assim no manuscrito conhecido mais antigo escrito por um cristão. De fato, o papiro é 40 a 50 anos mais antigo que o resto das cartas cristãs conhecidas, indica o mesmo comunicado. O P.Bas. 2.43 é guardado na Universidade de Basileia junto com outros 64 papiros egípcios. Ele faz parte do chamado ‘arquivo Heroninos’, um dos maiores desta época, que contém cerca de 1.000 papiros.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

FACEBOOK

VÍDEOS